segunda-feira, 30 de novembro de 2015

Meditação/Nadia Malta/ELE DISSE PARA NÃO TEMER!

ELE DISSE PARA NÃO TEMER!

Por isso não tema, pois estou com você; não tenha medo, pois sou o seu Deus. Eu o fortalecerei e o ajudarei; Eu o segurarei com a minha mão direita vitoriosa”. Isaías 41.10.

                                                                                           


Aprendemos que a expressão “Não tema” está repetida na Palavra de Deus 366 vezes. Essa expressão vem sempre acompanhada de palavras de consolo e encorajamento. Nunca contei, mas creio que devido à incidência dos muitos medos que nos assolam, o Senhor providenciou essa provisão para nos socorrer na hora das “assombrações” e “malassombros” com suas múltiplas faces que insistem em nos aterrorizar: São perdas, dores, enfermidades, lutos, angústias.

Vivi uma infância de muitas assombrações. As histórias da casa velha e escura da Rua Imperial na qual morei aqui e acolá emergem da minha memória com seu porão escuro e suas árvores centenárias. Tudo está muito bem registrado. Mas o que eu não sabia naqueles dias é que aquelas figuras do imaginário, os bichos papões e “almas penadas” que vez por outra insistiam em me causar sobressaltos eram apenas prefiguras do que viria no futuro. Sim, a vida nos espreita com situações dignas dos filmes de terror.

Conheci a Luz! Fui transportada literalmente do reino das trevas para o Reino do Filho do amor de Deus! Nada é aleatório na vida dos escolhidos de Deus, mesmo antes que saibam que são escolhidos. Contudo, é necessário que a nossa fé esteja muito bem firmada na Rocha que é o próprio Cristo.  O Autor e Consumador da nossa fé precisa estar sempre diante dos nossos olhos! Se o perdermos de vista afundaremos nos medos que nos espreitam desde tempos ancestrais. Não têm sido fáceis os sobressaltos dos últimos tempos! Parece um grande complô das trevas para nos tirar o chão e nos fazer retroceder. Abrigo-me no meu Refúgio! Escondo-me Nele! Ele me ampara!

Ergamos as nossas cabeças, o nosso Redentor vive e já se levantou sobre a terra. O versículo citado é uma palavra de encorajamento e consolo para o povo de Deus, não só do passado, mas creio que de todas as épocas! O Senhor ali diz para o povo não temer por cinco razões: Primeiro, porque estaria com ele. Segundo, porque Ele é o seu Deus. Terceiro e quarto, porque o fortalecerá e o ajudará e quinto, porque o segurará com a sua mão direita vitoriosa! Precisamos que estas palavras reverberem em nossos corações de contínuo! Mas quero terminar trazendo a maior razão para não temer, ainda que não existissem as demais: Porque ELE DISSE PARA NÃO TEMER! Ele falou, cumpra-se! Amém, Aleluia! Nadia Malta. http://ocolodopai.blogspot.com.br/



domingo, 29 de novembro de 2015

Meditação/Nadia Malta/DEUS, A NOSSA VERDADEIRA SUFICIÊNCIA!

DEUS, A NOSSA VERDADEIRA SUFICIÊNCIA! 

Mantém longe de mim a falsidade e a mentira; Não me dês nem pobreza nem riqueza; dá-me apenas o alimento necessário”. Provérbios 30.8.

                                                                         


Verdade e Transparência! Equilíbrio e suficiência! Como temos sentido falta dessas coisas para um viver em plenitude e sem os sobressaltos das correrias desenfreadas do nosso tempo!  O apóstolo Paulo diz: “Se temos o que comer e o que vestir estejamos contentes!”. Este é um mote que parece não se aplicar aos anseios dos nossos dias. “A medida do ter não enche nunca”, como diria meu sogro. As pessoas nunca parecem estar satisfeitas e nem falo da corrida pelo conhecimento vocacional para o qual fomos chamados e habilitados por Deus. Isto demanda esforço e disciplina. Mas da correria por um ter sem limites.

É interessante que quando se tem uma casa, logo se corre atrás de outras. Um carro só não é suficiente é preciso ter dois ou três na garagem. Os aparelhos celulares logo ficam obsoletos. Sapatos, então? As pessoas mais parecem, centopeias! O autor de provérbios pede primeiro ao Senhor para afastar dele a falsidade e a mentira. Essas duas práticas têm sido acolhidas em nosso meio de maneira escandalosa e inescrupulosa. E têm sido usadas como recursos para se obter o que se quer gananciosamente! Mente-se descaradamente a todos sobre tudo. A verdade e a transparência parecem perder terreno a cada dia. E este, lamentavelmente parece um sintoma da corrupção dos últimos dias.  Vivemos isto em termos de país, de mundo e até em guetos particulares.

O que mais nos deixa perplexos é que essa prática tem sido encontrada em nossos redutos eclesiásticos sob os mais diferentes disfarces. A segunda petição do texto é para receber apenas o necessário. Quando paramos para pensar sobre isto mais uma vez nos vemos admirados com os anseios dos corações. Há sempre neles um vazio tão grande que tem gerado uma compulsão por preenchimento. Nada parece ser suficiente! E não seria esse vazio a ausência de Deus que é na verdade a nossa verdadeira suficiência? Que tal exercitarmos um andar com pouca bagagem?

As igrejas têm investido tanto em um emocionalismo exterior para gerar membros, mas não tem gerado verdadeiras conversões. As pessoas estão tão vazias de Deus dentro das comunidades quanto fora delas. Tem faltado suficiência. Não foram regeneradas, não nasceram de novo. Jesus tem sido tirado do centro e sido trocado por mensagens de autoajuda. As pessoas precisam se sentir satisfeitas, mesmo que temporariamente. Por isto elas correm de um lado para o outro atrás de satisfazer seus interesses. E isto parece ser estimulado por algumas lideranças. Lamentável! Enquanto Deus não for tudo que temos, não teremos nada Dele. E iremos continuar engrossando as fileiras das comunidades visíveis, mas seguiremos desgraçadamente vazios, infelizes e perdidos!Nadia Malta. http://ocolodopai.blogspot.com.br/








sábado, 28 de novembro de 2015

Meditação/Nadia Malta/UMA ESPERANÇA QUE NÃO DECEPCIONA!

UMA ESPERANÇA QUE NÃO DECEPCIONA!

                                                                                        

Tu és o meu abrigo e o meu escudo; e na tua palavra coloquei a minha esperança. Se trabalhamos e lutamos é porque temos colocado a nossa esperança no Deus vivo, o Salvador de todos os homens, especialmente dos que creem”. Salmos 119.114; 1 Timóteo 4.10.

                                                                                 


Os textos se fundem numa harmonia que impressiona! Passados remoto e mais recente se unem para nos encorajar a continuar. Uma parceria do Espírito Santo com o salmista e com o apóstolo Paulo nos dá o tom para a marcha. E o tom é a esperança! Glórias sejam dadas ao Senhor por isto. Não estamos sozinhos. Não navegamos à deriva! Há Piloto em nossa embarcação e é nada menos que Jesus, o Filho do Deus Vivo, o Capitão da nossa Salvação!

Assim como os servos do passado busquemos abrigo no único Refúgio perfeito: Jesus, o Cristo de Deus. Ele é Abrigo e Escudo. Só refugiados Nele conseguimos escapar dos efeitos devastadores dos embates da vida. Temos falado de maneira recorrente sobre este assunto e iremos até a exaustão se for preciso até vermos a Palavra inundar os corações e as mentes desesperançadas em nosso meio. Às vezes manifestamos esta esperança mesmo em meio às lágrimas que insistem em correr, mas isto não significa que não cremos, apenas que somos humanos!

O apostolo Paulo em meio às suas muitas lutas completa o pensamento do salmista dizendo: “Se trabalhamos e lutamos é porque temos colocado a nossa esperança no Deus vivo”. Quero parafraseá-lo dizendo: “Se estou de pé é porque tenho esperança no Deus vivo, o meu Senhor e Salvador!”. Não sei quanto tempo durará a minha luta, mas creio Naquele que é o meu Abrigo e o meu Escudo, no qual tenho depositado a minha esperança. Lanço toda a minha angústia e ansiedade sobre os seus largos ombros. Rego a minha fé com as lágrimas que tem sido o grande fertilizante das minhas vitórias! Ele, o Senhor, me ampara, firma os meus pés e me conduz em triunfo apesar de mim!

Por esta Esperança Viva que nos acena com as saídas impensáveis e com as possibilidades não cogitadas pela nossa humanidade limitada é que tenho insistido com este tema dia após dia! O povo de Deus precisa aprender a buscar o Senhor de todo o coração. É necessário que saiamos da nossa racionalidade e adentremos o sobrenatural das riquezas insondáveis de Deus. Conservemos firmes a confissão da nossa esperança, pois quem fez a promessa é fiel e não falha nunca! Nadia Malta. http://ocolodopai.blogspot.com.br/



sexta-feira, 27 de novembro de 2015

Meditação/Nadia Malta/TEM FALTADO UMA PALAVRA CONFIÁVEL!

TEM FALTADO UMA PALAVRA CONFIÁVEL!

Seja o seu ‘sim’, ‘sim’, e o seu ‘não’, ‘não’; o que passar disso vem do Maligno". Mateus 5.37.

                                                                              


Uma pausa para falar de algo que tem incomodado nos últimos tempos: a mentira no nosso meio! O versículo está no contexto do Sermão do Monte, quando Jesus, dentre outras coisas exorta quanto à necessidade de uma palavra confiável. É curioso como as palavras ditas por Ele há tanto tempo encontram eco em nossos dias, quando tudo é muito relativo. Certo é errado, errado é certo. Sim, às vezes é não, e vice versa. O interessante é que nem o “talvez” tem sido mais usado.

Há um falar trôpego, desconexo, irresponsável. Mente-se por brincadeira, aliás, as mentiras tem encontrado lugar em muitos lábios mesmo daqueles que se dizem cristãos. O pai da mentira é sutil e tem disseminado seus sofismas por todos os lados e com sucesso. O nosso país vive uma crise de caráter e de confiabilidade nunca antes experimentada. Ninguém parece confiável. Mas em nosso meio as coisas não deveriam ser diferentes?

É um tal de “estou chegando” que nunca chega! Ou “amanhã enviarei” e esse amanhã fica cada vez mais distante! E ainda o terrível “daqui a dez minutos” que se transforma em duas horas e tanto! E por aí vai. As pessoas já fazem isto sem sentir. Perderam a noção do quanto vão perdendo a credibilidade em seus relacionamentos pessoais e de trabalho. E o pior as crianças vão se mirando no exemplo de pais mentirosos e vão seguindo na mesma escola. Depois se tenta exigir verdade dos filhos, chegando-se a castigá-los, quando  na verdade eles são o produto do que aprenderam nos lares. Casa de pai é sempre escola de filhos.

Jesus diz em sua Palavra que o diabo é o pai da mentira. Creio que, assim, os mentirosos são seus filhos. Como professar que somos filhos de Deus se não andamos na verdade? Uma das coisas mais sérias a esse respeito nos é dita por intermédio do Evangelho de João: "Vocês pertencem ao pai de vocês, o diabo, e querem realizar o desejo dele. Ele foi homicida desde o princípio e não se apegou à verdade, pois não há verdade nele. Quando mente, fala a sua própria língua, pois é mentiroso e pai da mentira”. Será que não nos constrangemos ao usar a linguagem do inimigo de Deus? Fica a reflexão! Ainda há tempo de conserto! Nadia Malta. http://ocolodopai.blogspot.com.br/


quinta-feira, 26 de novembro de 2015

Meditação/Nadia Malta/SENSIBILIDADE, OS OLHOS E OUVIDOS DO CORAÇÃO!

SENSIBILIDADE, OS OLHOS E OUVIDOS DO CORAÇÃO!

                                                                             

Ouvir e ver com o coração tem se tornado cada vez mais raro. As pessoas têm estado tão ocupadas com as suas múltiplas ocupações, tão ensimesmadas nos seus interesses pessoais, que olham e não veem. Ouvem mas não escutam. Tornaram-se míopes e surdas emocionalmente! Os processos transformadores são complexos, demandam paciência e compaixão por parte dos que estão ao nosso lado.  Quem sabe se não é isto que está acontecendo agora com alguém bem próximo? Essa pessoa tem se mostrado estranha, inquieta, se contorcendo. É difícil se tornar borboleta e mais difícil ainda é experimentar a paciência e compreensão dos que estão ao nosso lado em meio aos nossos processos de metamorfose. Que dificuldade para se perceber o que está bem abaixo do nariz!

Tenho ouvido muitas pessoas solitárias na multidão. “Desfilhadas”, mesmo tendo muitos filhos. E aqui abrimos um pequeno parêntese para falar de algo que tem virado uma pandemia: o descaso dos filhos com pais velhos. Gente, envelhecer não é fácil! Quando mais se precisa dos filhos, eles não estão presentes. A Palavra de Deus diz em um dos mandamentos com promessa: “Honra a teu pai e a tua mãe para que sejas de longa vida sobre a terra e tudo te vá bem!”. Mandamento mais que negligenciado! Tudo tem sido prioridade na vida dos filhos negligentes, menos os velhos pais que tanto se doaram para eles. Há pais que já perderam a lucidez, depois de tantas ausências, também se ausentaram tiveram as suas almas roubadas por enfermidades como o mal de Alzheimer.  Outros são mortos vivos com suas lágrimas choradas pra dentro, mesmo estampando um sorriso que disfarça a dor de suas almas solitárias. Estão todos eles indo nesta estrada que só tem um sentido! E todos indistintamente a percorrerão, mais cedo ou mais tarde! Cadê os que foram embalados e cuidados por esses pais? Cegaram e ensurdeceram!

Outra área que tem avançado em solidão é a dos relacionamentos conjugais. Cônjuges que não conversam, não participam dos interesses do outro  entrincheirados em seus casulos de proteção e conforto. Não dá para viver a dois sem participar ou partilhar. O relacionamento conjugal foi feito para fazer crescer e amadurecer. Aqui se aprende a perdoar, a dividir, a usar de misericórdia, a abdicar! Contudo, para muitos, tudo parece uma grande brincadeira. Casamento é uma construção e não uma simples celebração para se dar satisfação à família e à sociedade. A cerimônia é um divisor de águas, um ponto de partida para uma nova “etapa do jogo”. Contudo, muitos têm cegado e ensurdecido no meio do caminho voltando para as suas cavernas de egoísmo. De repente, tudo desmorona! E a exclamação é sempre: “aconteceu tão rápido, parecia que estava tudo bem!”.  Não, não estava tudo bem! Os sinais estavam todos debaixo dos olhos e dos ouvidos, mas os cônjuges cegaram e ensurdeceram!

Pais em relação a filhos. Hoje esses últimos são forçosamente terceirizados. Pais e mães ocupados demais para assumir, para dar atenção, para olhar e ver. Para ouvir e escutar, sobretudo, o que não é visto e ouvido pelos olhos e ouvidos da carne. Tem faltado sensibilidade! As horas de folga dos pais precisam ser otimizadas em relação aos filhos, especialmente quando são pequenos. Filhos precisam de pais presentes ativos e participativos.

E entre amigos, então? Apesar de que aqui as coisas são um pouco melhores, pois esses ainda levam vantagem sobre as situações anteriores. São os donos da diversão, da camaradagem, das horas de risadas. Os verdadeiros se revelem nas horas das dores, das dificuldades. Só nessas horas que se conhecem os verdadeiros. Os que chegam junto, os que estendem as mãos. Contudo, vemos aqui também a ação dos ingratos, daqueles que à semelhança do Mar Morto só recebem sem dar nada em troca. A ingratidão é o não reconhecimento da dádiva recebida. Os que não agradecem acham que todos têm obrigação com eles e nunca estão satisfeitos. Meu pai diria: “um amigo bom ajuda o outro, tem gente que quer ser o outro a vida toda!”.  Também cegaram, ensurdeceram! Os corações têm estado endurecidos! Tempo de restaurar a visão e a audição do coração! Que aprendamos a manifestar gratidão e presenças cuidadosas! Nadia Malta.


Meditação/Nadia Malta/PARA QUE APRENDAM JUSTIÇA!

PARA QUE APRENDAM JUSTIÇA!

Também através dos teus juízos, SENHOR, te esperamos; no teu nome e na tua memória está o desejo da nossa alma. Com minha alma suspiro de noite por ti e, com o meu espírito dentro de mim, eu te procuro diligentemente; porque, quando os teus juízos reinam na terra, os moradores do mundo aprendem justiça”. Isaías 26.8,9.

                                                                                       


Sem dúvida, vivemos dias maus sobre a terra. Dias de impiedade, de iniquidade de escárnios e muito cinismo. Sobretudo, e especialmente em nosso país. É desalentador olhar à volta e assistir passivamente a proliferação das obras do mal sem poder fazer absolutamente nada. Há uma manipulação institucionalizada para tornar o certo em errado e vice versa. Tudo parece ter virado de cabeça para baixo. Aí, vem à mente a pergunta do profeta Habacuque nos dias do cativeiro de Babilônia: “Até quando, Senhor?”.

O que fazer diante de tudo isto? Confiar e esperar em Deus, só Ele sabe os tempos e os modos de fazer manifestos Seus juízos. E quando esses juízos são manifestos não fica pedra sobre pedra. Todas as obras serão trazidas à luz. Tudo que fora proclamado no interior das casas e palácios será proclamado do alto dos telhados. Aliás, já estamos vendo isto acontecer! Ninguém consegue enganar a todos a vida inteira, quando muito, a alguns por algum tempo. Deus é especialista em revelar as obras malignas das trevas. Isto nos enche de uma viva esperança. Servimos ao Deus que não perde o controle de absolutamente nada. Aleluia!

As palavras trazidas pelo profeta Isaías há tanto tempo atrás nos dão alento. Ele diz que nos juízos de Deu espera. Assim como nós também esperamos. Não há como confiar na justiça dos homens. Os desejos e anseios do profeta estavam no Senhor ao ponto dele suspirar dia e de noite por isto. Ele procura diligentemente pelo Senhor. Que seja assim também conosco! Que o busquemos de todo o nosso coração. Que não cesse a nossa esperança, que não seque o nosso coração como uma terra árida. Há saída para nós. O profeta enxergou isto nos dias do cativeiro. Ele diz: “porque, quando os teus juízos reinam na terra, os moradores do mundo aprendem justiça”. Uma ministra do STF, Carmem Lúcia declarou que: “O crime não vencerá a justiça!”. Sim, sobretudo, a justiça do Senhor! Nesses dias embora, tenhamos experimentado a alegria de ver um dos líderes da corrupção no país ter a sua prisão decretada, a nossa confiança vem apenas nas sentenças e juízos de Deus. E esses juízos estão sendo manifestos, Aleluia! Nadia Malta. http://ocolodopai.blogspot.com.br/





quarta-feira, 25 de novembro de 2015

Meditação/Nadia Malta/BUSQUEMOS ANTES A SABEDORIA DO ALTO!

BUSQUEMOS ANTES A SABEDORIA DO ALTO!

 “Está a sabedoria com os idosos, e, na longevidade, o entendimento? Não! Com Deus está a sabedoria e a força; ele tem conselho e entendimento”. Responda ao insensato como a sua insensatez merece, do contrário ele pensará que é mesmo um sábio. Ai dos que são sábios aos seus próprios olhos e inteligentes em sua própria opinião. Onde está o sábio? Onde está o erudito? Onde está o questionador desta era? Acaso não tornou Deus louca a sabedoria deste mundo?”. Jó 12.12, 13; Provérbios 26:5; Isaías 5:21; 1 Coríntios 1:20.

                                                                                


A Palavra explicando a Palavra. Conferindo coisas espirituais com espirituais. Quatro textos diferentes, escritos em diferentes épocas por pessoas diferentes vêm falar da mesma coisa: A tolice da sabedoria humana. E olhe que nos últimos tempos esse saber tem se multiplicado assustadoramente. Parece que não há medida para o conhecimento humano e para se galgar posições nessa área. Contudo, observamos um fenômeno intrigante, quanto mais se busca o conhecimento das coisas do mundo, mas analfabetas as pessoas se tornam das coisas do Senhor. Uma verdadeira tragédia!

Os textos citados começam com uma pergunta do velho servo sofredor de Deus, Jó: “Está a sabedoria com os idosos, e, na longevidade, o entendimento?”. Ele mesmo apresenta a resposta a sua própria pergunta: “Não! Com Deus está a sabedoria e a força; ele tem conselho e entendimento”. Mas o grande problema aqui é: Quem busca a direção de Deus para seus passos? Quem busca seus conselhos antes de tomar decisões? Invariavelmente tomamos nossas decisões, comunicamos ao Senhor e exigimos que Ele as abençoe. E quando essas decisões nos levam para caminhos de morte o culpamos por não nos ter livrado.

O autor de provérbios diz algo magnífico: “Responda ao insensato como a sua insensatez merece, do contrário ele pensará que é mesmo um sábio”. Pois é, a insensatez é sempre péssima conselheira. E se os planos do insensato forem bem sucedidos? Certamente ele se julgará sábio. O problema é que um ou outro plano até pode dar certo temporariamente fazendo esse insensato se sentir inflado em sua vaidade. Mas logo seu balão será estourado. Até que chegará um dia em que verá que não é nada, e nada sabe de fato, pois tudo vem do Senhor!

O profeta Isaias completa trazendo um ai de julgamento da parte de Deus, para os que a si mesmos se julgam sábios: “Ai dos que são sábios aos seus próprios olhos e inteligentes em sua própria opinião!”. A honra e a glória são devidas unicamente ao Senhor. Ai daqueles que buscam o aplauso dos homens e os holofotes efêmeros da fama. Tudo passará como a flor da erva! E a pessoa amargará a perda dos verdadeiros tesouros colocados à sua disposição! O apóstolo Paulo arremata com as perguntas retóricas finais: “Onde está o sábio? Onde está o erudito? Onde está o questionador desta era? Acaso não tornou Deus louca a sabedoria deste mundo?”.  Que possamos colocar tudo que recebemos aos pés do Senhor, a Ele sempre toda honra e toda glória por tudo que somos, temos ou sabemos! Tudo vem Dele. É para Ele e se manifesta por meio Dele! O maior tesouro da sabedoria se resume em: “De tudo o que se tem ouvido, o fim é: Teme a Deus e guarda os seus mandamentos; porque este é o dever de todo homem”. Diz sabiamente e experiencialmente o autor de Eclesiastes. Assim, busquemos antes, a sabedoria do Alto! Nadia Malta. http://ocolodopai.blogspot.com.br/





terça-feira, 24 de novembro de 2015

Meditação/Nadia Malta/AO CHEIRO DAS ÁGUAS BROTA A ESPERANÇA!

AO CHEIRO DAS ÁGUAS BROTA A ESPERANÇA!

Porque há esperança para a árvore, pois, mesmo cortada, ainda se renovará, e não cessarão os seus rebentos. Se envelhecer na terra a sua raiz, e no chão morrer o seu tronco, ao cheiro das águas brotará e dará ramos como a planta nova”. Jó 14.7-9.

                                                                                        


Lá vem outra vez a palavra que tem sido recorrente em meu coração: Esperança! Em sua meditação sobre a brevidade da vida, bem como sobre os rigores das dores e perdas enfrentadas Jó enxerga essa imagem tão alentadora do renovo das árvores.

Vivemos em um tempo de assolação, no qual tudo é muito desalentador! Nada parece nos consolar ou encorajar a seguir adiante. Temos falado sobre isto outras vezes e a recorrência do assunto se deve ao tanto que nos temos confrontado com situações adversas que nos tiram o fôlego, nos causando sobressaltos múltiplos. Precisamos ser visitados com o sobrenatural de Deus. Que sejamos sequestrados de nossa naturalidade e subamos aos lugares celestiais. Que possamos olhar todas as coisas sob a ótica do Espírito, do contrário, sucumbiremos.

Jó nos tráz a visão da árvore que mesmo cortada, ainda se renovará. Temos sido cortados de tantas coisas que julgávamos sólidas, permanentes! Mas a visão nos encoraja a seguir em frente, há esperança de renovo. Se verdadeiramente confiarmos em Deus, novos rebentos ressurgirão. Aquilo que parecia morto se revestirá de vida. O que era impossível aos olhos humanos torna-se possível pelo agir sobrenatural de Deus. Só precisamos crer e confiar. Fé mais confiança é igual a esperança.

Mas, o mais surpreendente vem depois. Ele diz que a árvore cortada, se tiver as suas raízes envelhecidas na terra e o seu tronco morrer no chão, ao cheiro das “águas brotará e dará ramos como a planta nova”. Aleluia! No salmo 46 o salmista diz que “há um rio, cujas correntes alegram a cidade de Deus, o santuário das mordas do Altíssimo!”. Sim, esse rio é real e só ele pode regar e gerar vida naquilo que para todos está morto. Tenho pensado naquilo que cheira a morte ao meu redor. As histórias são muitas em que as pessoas se acomodam ao mórbido. Veem o óbito das situações e das relações sem sequer dar a chance de um renovo. É tão mais fácil descartar, lançar fora, substituir. E quase sempre essa escolha é das mais trágicas. Apenas trocam-se seis por meia dúzia! Que sejamos sensíveis ao cheio das águas! Agucemos os nossos olfatos espirituais e deixemos que o Senhor gere vida no que já está morto. Ele especialista em ressurreição! Nadia Malta. http://ocolodopai.blogspot.com.br/


segunda-feira, 23 de novembro de 2015

Meditação/Nadia Malta/UM MISTÉRIO REVELADO APENAS AOS ESCOLHIDOS!

UM MISTÉRIO REVELADO APENAS AOS ESCOLHIDOS!

Ele lhes disse: "A vocês foi dado o mistério do Reino de Deus, mas aos que estão fora tudo é dito por parábolas, a fim de que, ‘ainda que vejam, não percebam, ainda que ouçam, não entendam; de outro modo, poderiam converter-se e ser perdoados! ". Marcos 4:11,12.

                                                                  

Todos os homens estão mortos em seus delitos e pecados por meio de Adão. O que aconteceu no Éden não foi um tropeço. Foi uma morte espiritual encerrando toda a humanidade na condenação. Deus não enviou pessoas para o inferno. Através da queda de Adão, todos pecaram e estão destituídos da glória de Deus. Assim, todos morreram! Contudo, o Senhor em sua soberania resolveu salvar alguns.

A parábola do Semeador nos dá uma ideia do que acontece com aqueles que permanecem mortos nos delitos e pecados. Os corações são tipos de solos. A Verdade de Deus é semente boa, mas os solos ruins podem sufocá-la! A Verdade de Deus não é acessível à razão, mas ao espírito vivificado, a um coração regenerado pelo Espírito Santo de Deus. Há elementos de difícil compreensão só discernível pelo Espírito àqueles a quem Ele quer revelar! O homem natural não entende a linguagem do Espírito. Se a razão humana alcançasse os mistérios de Deus, todos seriam salvos. Embora a Graça seja manifesta a todos os homens e Deus deseje que todos cheguem ao arrependimento, nem todos chegarão! Conjecturar acerca da vontade de Deus é querer discutir a Sua Soberania. Ele faz e age como quer e salva a quem quer. É o Oleiro que dispõe do barro do jeito que quer.

O mais difícil mistério de Deus para a compreensão humana é o que aconteceu na Cruz do Calvário. É chamado de Loucura para os gentios e escândalo para os judeus diz o apóstolo Paulo falando aos coríntios. Por outro lado, aqueles que foram chamados e escolhidos pelo Senhor têm o seu entendimento aberto para compreender essas coisas. Porém, “Aos que estão fora tudo é dito por parábolas, a fim de que, ‘ainda que vejam, não percebam, ainda que ouçam, não entendam; de outro modo, poderiam converter-se e ser perdoados!”. Um texto que para muitos pode parecer chocante, mas traduz aquilo que Deus resolveu em sua soberania desde tempos eternos! Por que Ele fez isto? Porque Ele é Deus e pronto, o mais não é da nossa conta! Quem somos nós para discutirmos com o nosso Criador?

Antes agradeçamos ao Senhor, glorifiquemos o Seu Santo Nome, por Sua excelsa Graça que nos alcançou apesar de nós! Não havia nada em nós que suscitasse da parte Dele tal amor, mas a Sua Graça encarnada, Jesus,  morreu em nosso lugar. E parafraseando o Pr. Paulo Júnior: “Para que seus escolhidos não permanecessem no inferno, Deus teve que matar o seu Filho!”. Por meio de Jesus, o segundo Adão, muitos foram salvos! Não podemos perder de vista esta verdade que traduz o amor indizível de Deus por nós. Por isto fomos levantados para louvor da Sua glória! Exaltemos o Seu Santo Nome para sempre, Amém! Nadia Malta. http://ocolodopai.blogspot.com.br/





domingo, 22 de novembro de 2015

Meditação/Nadia Malta/UM CHAMADO À OBEDIÊNCIA!

UM CHAMADO À OBEDIÊNCIA!

Eu lhes escrevi todos os ensinos da minha Lei, mas eles os consideraram algo estranho. Nem todo aquele que me diz: ‘Senhor, Senhor’, entrará no Reino dos céus, mas apenas aquele que faz a vontade de meu Pai que está nos céus”. Oséias 8:12; Mateus 7:21.

                                                                          


Palavras que se completam e se explicam. O Senhor tem se dado a conhecer ao seu povo desde tempos eternos. Ele tem dado suas Leis e os seus mandamentos para segurança daqueles aos quais tem amado, apesar deles. Contudo, a obediência requerida tem faltado! Obediência é a maior credencial do servo.

A desobediência no meio do povo do Senhor tem sido a causa das derrotas e de tantos cativeiros que têm se abatido sobre as vidas de muitos. Não há desculpas para não obedecer a não ser a própria natureza rebelde do povo. O apóstolo João diz que os mandamentos do Senhor não são penosos. Sim, é verdade! Não são penosos para aqueles que são verdadeiramente Dele. Os que são de Deus preferem o que está escrito em detrimento de todos os “achismos”, desejos e emoções humanas. Obedecer é sempre melhor que sacrificar, mas muitos têm preferido sacrificar, adoecer e entristecer o coração amoroso do Pai indo após outros deuses. As satisfações da carne acabam adoecendo as emoções e comprometendo até mesmo o destino eterno do espírito. A desobediência de Saul o levou a loucura. A desobediência de Sansão o levou a morte. A desobediência de Jonas o levou ao ventre de um grande peixe. As histórias são muitas, mas a raiz é uma só: desobediência!

Olhando para as palavras tanto de Oseias quanto do próprio Jesus, estremece-me o espírito! “Tantos que corriam bem, longe do Senhor agora vão” como diz a letra do velho hino! Fazem o caminho espiritual de volta. É a porca lavada voltando ao lamaçal, o cão voltando ao vômito! E aqui encontramos a explicação para tantas rebeliões no meio dos que se dizem cristãos: Muitos dos que têm chamado Jesus de Senhor, não são de fato Dele! Estão nas comunidades. Fazem parte do rol de membros da Igreja visível, foram batizados, mas nunca foram verdadeiramente regenerados, jamais nasceram de novo. Esses estranham os mandamentos e certamente acabarão mal! Ninguém se rebela contra o Senhor e sai incólume!

Chamar Jesus de Senhor implica em rendição total. Entrega não só do que se tem, mas da própria vida. Senhorio é domínio. Muitos o querem como um Salvador/Papai Noel que lhes satisfaça todas as vontades, mas se recusam a reconhecê-Lo como o Senhor absoluto de suas vidas! Deus não tem prazer em holocaustos e sacrifícios, mas em que se obedeça a Sua palavra! Reflitamos sobre isto. Ainda há tempo de voltarmos ao Senhorio de Cristo! Nadia Malta. http://ocolodopai.blogspot.com.br/


sábado, 21 de novembro de 2015

Meditação/Nadia Malta/LEVANTEMO-NOS E REEDIFIQUEMOS!

LEVANTEMO-NOS E REEDIFIQUEMOS!

Nesse meio tempo fomos reconstruindo o muro, até que em toda a sua extensão chegamos à metade da sua altura, pois o povo estava totalmente dedicado ao trabalho. Quando, porém, Sambalate, Tobias, os árabes, os amonitas e os homens de Asdode souberam que os reparos nos muros de Jerusalém tinham avançado e que as brechas estavam sendo fechadas, ficaram furiosos. Todos juntos planejaram atacar Jerusalém e causar confusão. Mas nós oramos ao nosso Deus e colocamos guardas de dia e de noite para proteger-nos deles”. Neemias 4.6-9.

                                                                                 


O livro de Neemias é inspirador sob todos os aspectos. A inclinação para a superação desse homem de Deus é fascinante. Mesmo tendo todos os elementos para desistir e se enterrar numa depressão profunda, ele foi à luta. Ousou enxergar vida a partir dos escombros de uma cidade destruída e assolada com suas portas queimadas a fogo!

Temos falado de forma recorrente em esperança. E não podemos pensar em esperança sem uma disposição viva para a luta. O caos nos parece pandêmico. É institucional em termos de país, de mundo. São corrupções nunca experimentadas. É o descrédito das instituições. Ninguém confia em ninguém. É a ruína dos lares. Casamentos líquidos que não se sustém. Relacionamentos em declínio em todos os níveis. Inversão de valores nunca antes vista. Um terror que se tem espalhado como rastilhos de pólvora pra todos os lados. Não estamos seguros em lugar nenhum.

E é aí, que olhamos para o passado para o caos que se abateu sobre o povo de Deus na época do cativeiro de Babilônia. Cativeiro que foi permitido de forma disciplinadora para conserto da rebelião do povo. Quando se olha para aquela situação se tem a impressão que é o fim: Cidade destruída, muros derrubados, portas queimadas.  Um amontoado de escombros! Nada mais a se esperar. Não há saídas! Contudo, não existe fim da linha quando olhamos para Aquele que especialista em reconstruir a partir do caos. Neemias teve a visão, confiou em Deus e buscou a reconstrução da cidade dos seus pais. O livro é cheio de princípios neste sentido!

Neemias enfrentou uma ferrenha oposição dos inimigos que não queriam que a obra fosse a termo. Na verdade a atitude dos inimigos de Neemias daqueles dias se repete hoje. Os nossos adversários espirituais, usando elementos humanos fazem de tudo para nos desencorajar para que desistamos. Os inimigos ao perceberem que as brechas dos muros estavam sendo tapadas ficaram furiosos e maquinaram destruir o trabalho feito. É aí que aprendemos a mais eficaz das lições com Neemias e sua equipe de trabalho: Eles oraram ao Senhor e vigiaram de dia e de noite. Oração e ação andam juntas.Eles agiram em unidade e perseverantemente! Como tem faltado isto em nosso tempo! Desistimos com muita facilidade! Entregamos os pontos rapidamente e assim o adversário, o inimigo de nossas almas tem alcançado larga vantagem sobre nós! Tempo de restauração, Povo da Cruz! Reconstruir a partir do caos é sempre possível! Levantemo-nos e reedifiquemos nossos próprios muros! Nadia Malta. http://ocolodopai.blogspot.com.br/



sexta-feira, 20 de novembro de 2015

Meditação/Nadia Malta/PRISIONEIROS, SÓ SE FOR DA ESPERANÇA!

PRISIONEIROS, SÓ SE FOR DA ESPERANÇA!

"Voltai à fortaleza, ó presos de esperança; também, hoje, vos anuncio que tudo vos restituirei em dobro." Zacarias 9.12.

                                                                               


Vivemos em um tempo de tantas prisões! Estamos sempre às voltas com cargas impostas e autoimpostas que nos deixam muitas vezes paralisados. Por mais escuras e insalubres que sejam as nossas prisões, se tivermos olhos espirituais para enxergar a grande e escancarada Janela da Esperança, superaremos! As palavras de ânimo do profeta Zacarias aos cativos em Babilônia são revigorantes em meio aos nossos próprios cativeiros. Por que não nos deixarmos aprisionar pela Esperança Viva chamada Cristo? Essa Esperança não morre nunca!

Em nossas horas de suores frios, quando tudo parece não ter saída é oportuno e prudente buscarmos o consolo e refugio do Senhor. É reconfortador tirarmos os olhos do que é aparentemente insolúvel e colocá-los no Autor e Consumador da nossa fé: JESUS! Ele é o nosso Refúgio e Fortaleza, Consolo presente em nossa tribulação. Não permitamos que nada nos aprisione, a não ser a Esperança da glória que é Cristo em nós!

Andar com o Senhor nos dá a certeza de um agir surpreendente da parte Dele em cada situação que nos aflige. Conheço de perto tantas histórias! Há sempre uma saída impensável, algo que para nós era impossível, mas que de repente se torna possível por meio Dele! Entendo que na vida de um servo nada é aleatório ou casual. Há sempre um propósito do Soberano Senhor em todas as coisas. Contudo, as dores da vida em muitas ocasiões nos fazem deixar a Fortaleza e quase sucumbir às investidas das aflições. Sofrimento tem a capacidade de nos tirar a visão daquilo que Deus já fez tantas e tantas vezes! Certamente as Suas mãos não estão encolhidas para que Ele não possa abençoar, nem seus ouvidos moucos para que não ouçam os nossos clamores!

Assim como os servos daqueles dias precisaram ouvir uma palavra animadora em meio aquela situação, muitos de nós também. Que o Senhor nos acuda em nossas situações insolúveis do ponto de vista humano! Que as palavras reconfortadoras do profeta ecoem em nossos ouvidos hoje e sejamos reconduzidos à Fortaleza, ao Esconderijo que é o próprio Senhor! E tenho certeza de que nada que julgávamos haver perdido, perdemos de fato! Tudo nos será restituído em dobro. E não falo da superficialidade das coisas exteriores, mas de interioridade, de reconstrução interna! Voltemos à Fortaleza e deixemos que a Esperança nos aprisione! Nadia Malta. http://ocolodopai.blogspot.com.br/



quinta-feira, 19 de novembro de 2015

Meditação/Nadia Malta/COMO É DIFÍCIL VIVER EM PAZ UNS COM OS OUTROS!

COMO É DIFÍCIL VIVER EM PAZ UNS COM OS OUTROS!

Façam todo o possível para viver em paz com todos. Amados, nunca procurem vingar-se, mas deixem com Deus a ira, pois está escrito: "Minha é a vingança; eu retribuirei", diz o Senhor. Pelo contrário: "Se o seu inimigo tiver fome, dê-lhe de comer; se tiver sede, dê-lhe de beber. Fazendo isso, você amontoará brasas vivas sobre a cabeça dele". Não se deixem vencer pelo mal, mas vençam o mal com o bem”. Romanos 12:18-21.

                                                                        


O texto faz parte das virtudes recomendadas pelo apóstolo Paulo aos seus leitores romanos. Lendo e relendo muitas vezes os versículos citados parei para meditar na dificuldade de experimentarmos essa paz relacional com determinadas pessoas. Paulo é enfático, na versão (ARA) ele diz “Se possível no que depender de vós tende paz com todos os homens”. Quantas coisa, pela estranheza dos temperamentos, faz que não dependa de nós essa paz, por mais que nos esforcemos!

Quão mais fácil seria se nós pudéssemos viver em união! Contudo, o “Suportai-vos uns aos outros no temor do Senhor!” não é uma via de mão única e não tem sido levada a sério por muitos. Lamentavelmente, mesmo em nosso meio. O texto segue com o apóstolo nos conclamando a ser benignos com aqueles que nos atingiram, feriram e magoaram. Jesus lá no Sermão do Monte já havia dito isto em outras palavras: “Vocês ouviram o que foi dito: ‘Ame o seu próximo e odeie o seu inimigo’. Mas eu lhes digo: Amem os seus inimigos e orem por aqueles que os perseguem”. Mas como seria a natureza desse amor? Será tão necessário mesmo nos aproximarmos tanto assim ao ponto de nos machucar, numa espécie de autoflagelação? Quem em sã consciência se abraçaria com pés de mandacaru vezes seguida? Perdoar é esquecer, não o evento, isto é amnésia, mas esquecer da memória da dor! Só que determinadas ações reincidentes estão sempre alimentando a memória dessa dor com o propósito de nos destruir!

Conheço tantas pessoas emocionalmente fragilizadas e até doentes pela exposição desnecessária a agentes humanos tóxicos. A toxidade de determinadas pessoas pode ser mortal sob todos os aspectos. O que fazer então nesses casos? Continuar orando por essas pessoas. Perdoando-as num ato contínuo como quem irriga uma terra desertificada. Abençoando suas vidas e amá-las de forma prática acudindo suas necessidades, sempre que necessário. Mas guardando a devida e terapêutica distancia! Deixando que o mais o Senhor faça.

Abriguemo-nos à Sombra do Onipotente! Deixemos que Ele refrigere a nossa alma. Descansemos e não nos exponhamos desnecessariamente às Ações tóxicas daqueles que nos odeiam e desejam nos destruir! O Senhor é um Muro de fogo ao nosso redor, mas se deliberadamente rompemos o muro, serpentes nos morderão!  Às vezes uma boa e estratégica retirada é sinal de valentia. Estejamos atentos!

Só não podemos perder de vista que: Tudo é muito cíclico. E o efeito bumerangue é real, a tal Lei do retorno existe e é implacável! É o que damos que recebemos, não tem jeito, seja bom ou ruim. Aqueles que têm semeado ventos segarão grandes tormentas. Os misericordiosos alcançarão misericórdia! Os odientos e belicosos experimentarão do próprio poder de fogo. Portanto, tenhamos cuidado com as sementes plantadas, numa dessas giradas chega a hora inevitável da colheita. Sejamos, então, semeadores de misericórdia! Busquemos a paz e empenhemo-nos por alcançá-la! Nadia Malta. http://ocolodopai.blogspot.com.br/


quarta-feira, 18 de novembro de 2015

Meditação/ Nadia Malta/HAJA GRAÇA! HAJA ORAÇÃO E HAJA JUÍZO!

HAJA GRAÇA! HAJA ORAÇÃO E HAJA JUÍZO!

Cantem louvores ao Senhor, vocês, os seus fiéis; louvem o seu santo nome. Pois a sua ira só dura um instante, mas o seu favor dura a vida toda; o choro pode persistir uma noite, mas de manhã irrompe a alegria”. Salmos 30.4,5.

                                                                              


A experiência de Davi, o rei salmista, de glorificar o Senhor em meio às suas muitas lutas é aqui compartilhada conosco para a nossa edificação e consolo. Davi sabia em quem cria, por isso exalta ao Senhor mesmo em meio ao choro e a angústia daquele momento. Sabemos que não tem sido fácil viver os dias que temos vivido. São tantas as frentes de combate que a sensação de sufocamento parece persistir mesmo à despeito de tudo que nos embosca a cada instante!

Os noticiários da TV e da internet mostram um mundo em convulsão constante. Não há segurança em parte alguma a não ser nos braços do Pai. Há terror por todos os lados. Insatisfações permanentes dentro e fora dos lares. Fome em vários lugares, guerras, rumores de guerra. Grandes catástrofes ambientais nunca vistas. Isto sem contar com as nossas lutas pessoais com enfermidades graves e questões familiares. Haja graça, haja oração e haja juízo!

Contudo, o salmista nos faz enxergar de outra perspectiva. Ele nos ajuda a tirar os olhos das circunstancias e colocá-los em Deus. Ele nos chama a atenção para o fato de que a ira do Senhor tem uma curta duração em relação a seu favor e a sua misericórdia! Há um agir de Deus com os seus escolhidos em disciplina e conserto e um agir punitivo em relação aos ímpios que o rejeitam.

Numa medida ou outra, todos estamos enfrentando noites escuras da alma. Às vezes tendemos a achar que jamais irá amanhecer, mas amanhecerá sim! E a alegria de que tanto precisamos virá com a aurora! O Sol da Justiça jamais se põe para os seus. Temos experimentado cada vez mais frequentemente as aflições mencionadas pelo Senhor, mas elas passam. Devemos conservar o bom ânimo. Angústia, tribulações têm prazo de validade! Ele venceu as aflições para que fortalecidos Nele pudéssemos vencê-las também! Já lutamos em triunfo, pois fomos habilitados para sermos mais que vencedores por meio de Jesus, nosso Senhor! O salmista termina com palavras consoladoras que nos alcançam: “Ouve, Senhor, e tem misericórdia de mim; Senhor, sê tu o meu auxílio". Mudaste o meu pranto em dança, a minha veste de lamento em veste de alegria, para que o meu coração cante louvores a ti e não se cale. Senhor, meu Deus, eu te darei graças para sempre”. Rendamos graças ao Senhor, então!  Contemplemos a nossa vitória com os olhos da fé! Nadia Malta. http://ocolodopai.blogspot.com.br/




terça-feira, 17 de novembro de 2015

Meditação/Nadia Malta/BEM-AVENTURADO O QUE ACODE AO NECESSITADO!

BEM-AVENTURADO O QUE ACODE AO NECESSITADO!

Como é feliz aquele que se interessa pelo pobre! O Senhor o livra em tempos de adversidade. O Senhor o protegerá e preservará a sua vida; ele o fará feliz na terra e não o entregará ao desejo dos seus inimigos. O Senhor o susterá em seu leito de enfermidade, e da doença o restaurará”. Salmos 41.1-3.

                                                                                 


Ao mesmo tempo em que o salmo estabelece o contraste entre o falso interesse dos nossos inimigos e o socorro de Deus aos seus escolhidos, o salmista chama a atenção para a bem-aventurança de acudir os necessitados. Desde os primórdios o Senhor convoca seu povo a ser uma bênção!

Hoje ouvi de uma amada irmã que tem uma enfermidade que a deixa com aparência repulsiva para muitos, ao ser abraçada, ela disse com os olhos cheios de lagrimas: “A coisa que mais gosto é um abraço, mas são poucos os que me abraçam!”. Que coisa mais triste ouvir essas palavras, quanta solidão por trás delas! E note que é uma cristã e frequenta igrejas há muito tempo! Cadê a misericórdia e a compaixão no meio do povo de Deus?

O Salmista exclama: “Como é feliz aquele que se interessa pelo pobre!”. E muitas vezes essa pobreza não é de dinheiro, mas de atenção, de calor humano, de abraço, de ternura! Consolamos com a mesma consolação com que fomos consolados por Deus, ou seja, a misericórdia e a compaixão têm muitas faces. Precisamos estar atentos para dispensá-las na hora oportuna. Sem falar que muitas vezes o próprio Jesus se disfarça para receber aquilo que Ele mesmo nos concedeu! Ele disse: “Tive fome e me deste de comer. Tive sede e me deste de beber. Estive preso e foste ver-me. Estive enfermo e foste visitar-me. “Quando foi isso Senhor?”. Perguntaram-lhe. Ele respondeu: “Sempre que fizeste a um destes pequeninos a mim me fizestes!”.

Que coisa séria! O que se doa nesse amor-caridade recebe promessas de bênçãos específicas! Conta-se que certa vez chegou à base da missão onde vivia a Madre Teresa de Calcutá, um homem muito bêbado querendo falar com ela. Uma das pessoas que a ajudavam disse: “A senhora quer que o mande embora?”. Ao que ela de pronto respondeu cheia de compaixão: “Não, deixe que eu o atenda, pode ser Jesus disfarçado!”. Que possamos ter essa sensibilidade com a dor e necessidade do nosso semelhante! Nadia Malta. http://ocolodopai.blogspot.com.br/




segunda-feira, 16 de novembro de 2015

Meditação/Nadia Malta/UM CLAMOR POR PROTEÇÃO E SANTIDADE!

UM CLAMOR POR PROTEÇÃO E SANTIDADE!

Clamo a ti, Senhor; vem depressa! Escuta a minha voz quando clamo a ti. Seja a minha oração como incenso diante de ti, e o levantar das minhas mãos, como a oferta da tarde. Coloca, Senhor, uma guarda à minha boca; vigia a porta de meus lábios”. Salmos 141.1-3.

                                                                             


Em meio a tantas lutas, perseguições e atos de terror por todo o mundo não podemos perder de vista a necessidade de santificação. Sim, porque em meio a toda perplexidade causada pelo caos mundial tendemos negligenciar a nossa própria santificação. Falamos e fazemos o que não deveríamos entristecendo o coração do Pai Celestial movidos pela inclinação da nossa carne.

Sei que em sua excelsa misericórdia Ele é perdoador por excelência, mas há um pesar em nossos corações por palavras e ações! Quantas vezes no meio das nossas angústias falamos palavras néscias ou imprecatórias. Amaldiçoamos quando deveríamos abençoar. Como precisamos de guardas à porta dos nossos lábios! O salmista parece experimentar a mesma sensação que os crentes de nossos dias. Por isso ele clama desesperadamente pedindo que a sua oração seja ouvida e que seus lábios sejam guardados!

Que o Senhor tenha misericórdia de nós e nos ajude a atravessar sem envergonha-lo os dias que já estamos vivendo! Necessitamos de proteção e santidade de vida para fazer a diferença onde estamos plantados. A cada dia que passa a sensação é de desamparo. De desassistência em relação às instituições. Parece que nada nem ninguém merecem confiança. Há assombro e perplexidade por toda parte. Parece que há uma empreitada do inferno para nos enlouquecer. Há laços armados por todos os lados. Por isto a vigilância e a retidão precisam estar sempre diante dos nossos olhos!

No versículo oito o salmista clama ao Senhor: “Pois em ti, Senhor estão fitos os meus olhos; não desampares a minha alma”. A petição do salmista encontra eco em nossos lábios! Como estamos carecidos dela! Não percamos o Senhor de vista no meio das nossas aflições. Deixemos, os ímpios cairão nas suas próprias redes. O nosso socorro vem do Senhor que fez os céus e a terra! Nadia Malta. http://ocolodopai.blogspot.com.br/


Você poderá gostar também de...

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...