segunda-feira, 31 de agosto de 2015

Meditação/Nadia Malta/O SENHOR ADVERTE COM SEVERIDADE OS LÍDERES DO SEU POVO!

O SENHOR ADVERTE COM SEVERIDADE OS LÍDERES DO SEU POVO!

Ouvi, agora, isto, vós, cabeças de Jacó, e vós, chefes da casa de Israel, que abominais o juízo, e perverteis tudo o que é direito, e edificais a Sião com sangue e a Jerusalém, com perversidade. Os seus cabeças dão as sentenças por suborno, os seus sacerdotes ensinam por interesse, e os seus profetas adivinham por dinheiro; e ainda se encostam ao SENHOR, dizendo: Não está o SENHOR no meio de nós? Nenhum mal nos sobrevirá. Portanto, por causa de vós, Sião será lavrada como um campo, e Jerusalém se tornará em montões de ruínas, e o monte do templo, numa colina coberta de mato”. Miquéias 3:9-12.

                                                                               


Não nos deixemos enredar nos laços dos falsos profetas e líderes da atualidade. Os três primeiros capítulos deste livro trazem palavras de juízo de Deus contra os líderes do seu povo. O Senhor traz por meio do seu profeta uma dura repreensão aos governantes e aos sacerdotes. O jugo pela manipulação e pelo terror é antigo. Aqueles que deveriam conhecer a justiça praticam iniquidade, espoliam o pobre para se beneficiar como se achassem que ninguém os vê. O clamor dos oprimidos de todas as épocas sobe aos ouvidos do Senhor dos Exércitos. Nada fica oculto debaixo do sol. O Senhor mesmo virá em socorro dos que verdadeiramente são seus. Clamemos ao Senhor para que as obras dos que lideram seu povo sejam trazidas à luz.

O Senhor também repreende os Profetas. O Senhor continua aqui usando seu verdadeiro profeta para trazer duras advertências aos líderes do seu povo, tanto civis quanto espirituais. Em todo tempo profetas mentirosos iludem os tolos com suas falsas profecias em troca de benefícios financeiros. Os sacerdotes e líderes do povo se levantam para oprimir e assolar os amados de Deus. O Senhor enviará tempo de escuridão para eles. Todos eles serão envergonhados e constrangidos. A destruição virá sobre eles, sem ter quem os acuda! Assim como foi nos dias passados, será em nossos dias.

Precisamos aprender a discernir. A advertência feita pelo Senhor nos dias passados, serve para nós hoje. Nem todas as enfermidades sararão. Nem todos os estreitos serão alargados. Nem todas as tempestades se transformarão em bonança. Nem todos os traumas serão curados. Nem todas as perdas serão evitadas. Nem todas as dores cessarão. Nem todas as lágrimas secarão. Pelo menos, não deste lado da eternidade. Antes, o sofrimento faz parte da estranha e eficaz didática de Deus! Deixemos de ser meninos na fé e no entendimento! Aprendamos a discernir! Nadia Malta. http://ocolodopai.blogspot.com.br/


domingo, 30 de agosto de 2015

Meditação/Nadia Malta/O SENHOR TEM PACIÊNCIA CONOSCO, APESAR DE NÓS!

O SENHOR TEM PACIÊNCIA CONOSCO, APESAR DE NÓS!

Então, fez o SENHOR Deus nascer uma planta, que subiu por cima de Jonas, para que fizesse sombra sobre a sua cabeça, a fim de o livrar do seu desconforto. Jonas, pois, se alegrou em extremo por causa da planta. Mas Deus, no dia seguinte, ao subir da alva, enviou um verme, o qual feriu a planta, e esta se secou. Em nascendo o sol, Deus mandou um vento calmoso oriental; o sol bateu na cabeça de Jonas, de maneira que desfalecia, pelo que pediu para si a morte, dizendo: Melhor me é morrer do que viver! Então, perguntou Deus a Jonas: É razoável essa tua ira por causa da planta? Ele respondeu: É razoável a minha ira até à morte. Tornou o SENHOR: Tens compaixão da planta que te não custou trabalho, a qual não fizeste crescer, que numa noite nasceu e numa noite pereceu; e não hei de eu ter compaixão da grande cidade de Nínive, em que há mais de cento e vinte mil pessoas, que não sabem discernir entre a mão direita e a mão esquerda, e também muitos animais?". Jonas 4:6-11.

                                                                  


Deus é soberano e age como quer! O ultimo capítulo deste livro profético termina em aberto. Não sabemos como Jonas ficou depois da enxurrada de malcriação feita ao Senhor para justificar a sua ira em relação aos agires de Deus. O Senhor queria que Jonas entendesse que nada limita o alcance de sua graça.  As lições aqui nos remetem às nossas próprias posturas. Jonas segue em sua indignação, se isola mais uma vez, deseja para si a morte. Não era possível respirar o mesmo ar que os Ninivitas, agora arrependidos. Ele não podia suportar ver aqueles ímpios desfrutando da benignidade de Deus.

Jonas no fundo se enciúma do agir de Deus. Aquilo era demais para o seu “senso próprio de justiça”. Ele esqueceu que as nossas justiças não passam de trapos de imundícia. Deus termina dando a Jonas uma das mais belas lições sobre graça. Ele faz crescer um arbusto para fazer sombra e amenizar o calor abrasador daquele dia. O profeta é refrigerado, pra esfriar a cabeça e pensar com clareza. Mas aí, vem a lição preciosa. Deus envia uma lagarta que come o arbusto e acaba com a festa de Jonas, que volta a se enfurecer com o Senhor. Deus em sua longanimidade leva Jonas comparar a planta com a grande cidade de Nínive na qual havia cento e vinte mil pessoas que não sabiam discernir a mão direita da esquerda: “Mas Deus disse a Jonas: "Você tem alguma razão para estar tão furioso por causa da planta? “Respondeu ele: "Sim, tenho! E estou furioso a ponto de querer morrer". Mas o Senhor lhe disse: "Você tem pena dessa planta, embora não a tenha podado nem a tenha feito crescer”.  O profeta se compadeceu da planta e Deus não se compadeceria da cidade? O missionário deve priorizar as almas em detrimento do seu próprio conforto. Pensemos sobre isto! Nadia Malta. http://ocolodopai.blogspot.com.br/


sábado, 29 de agosto de 2015

Meditação/Nadia Malta/O SENHOR ABATE OS OPRESSORES GANANCIOSOS DO SEU POVO!

O SENHOR ABATE OS OPRESSORES GANANCIOSOS DO SEU POVO!


“Eis que eu estou contra ti, diz o SENHOR dos Exércitos; queimarei na fumaça os teus carros, a espada devorará os teus leõezinhos, arrancarei da terra a tua presa, e já não se ouvirá a voz dos teus embaixadores.”
Naum 2:13


As lutas são muitas. Precisamos de ânimo e encorajamento. Nínive perdeu a sua chance de mudança quando o profeta Jonas pregou cerca de 150 anos antes. Creio que a pregação de Jonas foi muito mais pra ensinar a ele próprio a agir com misericórdia do que mesmo para que Nínive se convertesse. Aqui Naum é enviado para decretar a sentença de Deus contra a cidade rebelde. Este capítulo descreve este castigo e as preparações desesperadas, mas inúteis, para defender a cidade contra a ira de Deus.

Em todas as épocas o povo de Deus enfrentou perseguições, opressões e jugos malignos. Creio que quando o Senhor permite tais coisas é como um tipo de recurso didático para aprendizado e edificação dos seus amados. É nesses momentos quando cessam as possibilidades humanas que se manifestam os infinitos recursos do Senhor. Quando os juízos de Deus se manifestam os moradores do mundo aprendem o que é a verdadeira justiça e os seus amados aprendem profunda dependência Dele.

Os acontecimentos aqui descritos, embora tenham sido literais, em torno de 612 a.C, nos levam a uma inevitável comparação com os nossos dias, quando o jugo opressor tem assumido proporções inimagináveis. Clamemos, pois! Por mais guardada que esteja a fortaleza inimiga, por mais vigiada que estejam suas estradas, por mais preparada que esteja a sua resistência e por mais reunidas que estejam as suas forças, de lá mesmo o Senhor dos Exércitos derribará o vil assolador! Tão somente confiemos e esperemos Nele!

Nadia Malta
http://ocolodopai.blogspot.com.br

sexta-feira, 28 de agosto de 2015

Meditação/Nadia Malta/BABILÔNIA NÃO ERA O MEU LUGAR!

BABILÔNIA NÃO ERA O MEU LUGAR, NEM É O SEU!

Portanto, dize-lhes: Assim diz o SENHOR dos Exércitos: Tornai-vos para mim, diz o SENHOR dos Exércitos, e eu me tornarei para vós outros, diz o SENHOR dos Exércitos”. Zacarias 1:3.

                                                                        


O jovem profeta Zacarias, se ocupa da mesma tarefa do seu contemporâneo Ageu a de chamar o povo de Deus a voltar-se para Ele. O Significado do seu nome é “Deus Lembrou-se”. Sim, e foi exatamente isto, Deus é aquele que sempre se lembra do seu povo, mesmo quando este anda em rebeldia e ignorância. Foi assim no pós-exílio. O povo se contaminou com as práticas de Babilônia e voltou às costas para o Senhor. Contudo, o Senhor é Deus de misericórdia e não manifesta sua ira antes de derramar abundantemente a sua misericórdia! Há uma ligação estreita entre os dois profetas: Ageu e Zacarias. A reconstrução do templo era necessária por aquilo que prefigurava. Zacarias segue o curso de sua profecia vinda da parte de Deus e usa uma série de visões e parábolas para anunciar seu ensino.

Hoje peço licença para uma breve palavra de testemunho pessoal. Cada dia tem um sabor especial para mim por aquilo que o Senhor, meu Deus e Pai tem manifestado em minha vida apesar de mim. A fidelidade do Senhor e o seu cuidado amoroso com aqueles que em sua soberania escolhe é algo indizível. Um dia o Senhor foi me buscar no exílio em Babilônia. Alí vivi por 28 anos. Até que fui alcançada e resgatada  pela graça salvadora do meu Cristo. Já se vão 33 anos desde que aquele encontro mudou a rota da minha história como o grande divisor de águas. Por isto tenho sempre diante de mim um sentimento de gratidão muito grande.

Viver em Babilônia não é fácil, com suas prisões idolátricas,  feitiçarias e todos os elementos místicos daquele império maligno! Contudo, não há barreiras quando o Senhor deseja nos atrair para Ele. Desmistificando e desmentido todos os prognósticos de que eu teria que servir aos demônios, sim, porque entidades e espíritos desencarnados que voltam para interferir na vida dos vivos não existem. Depois da morte segue-se o juízo. São na verdade, demônios ávidos para tragar os filhos dos homens. Fora dito ali que se até 35 anos eu não desenvolvesse uma “mediunidade” eles me levariam (matariam). Ultrapassei a fronteira dos sessenta anos para a glória de Papai. Por isso levo tão à sério o meu chamado e Aquele que me resgatou. NADA, nem NINGUÉM é mais importante que o meu CRISTO! Só Ele, o meu RESGATADOR, tem dia a dia reconstruído este santuário.


Muitos “crentes” se habituaram aos cativeiros experimentados. E sentem uma saudade irresistível do passado. Saíram do reino das trevas, mas insistem em viver na fronteira entre os dois reinos conservando hábitos e inclinações do passado. As coisas do velho reino precisam ser abdicadas, as velhas estruturas não satisfazem ou sustentam mais. Tudo precisa se fazer novo. Não basta sair de Babilônia! Babilônia precisa sair de nós e toda conexão com a velha vida tem que ser definitivamente abandonada! Só o “detox” do Espírito Santo pode fazer isto! Não podemos brincar com o pecado. Voltemos ao Senhor! Nadia Malta. http://ocolodopai.blogspot.com.br/

quinta-feira, 27 de agosto de 2015

Meditação/Nadia Malta/O SENHOR JULGA DE ACORDO COM A SUA SANTIDADE!

O SENHOR JULGA DE ACORDO COM A SUA SANTIDADE!

Tornei a levantar os olhos e vi, e eis um rolo voante. Perguntou-me o anjo: Que vês? Eu respondi: vejo um rolo voante, que tem vinte côvados de comprimento e dez de largura. Então, me disse: Esta é a maldição que sai pela face de toda a terra, porque qualquer que furtar será expulso segundo a maldição, e qualquer que jurar falsamente será expulso também segundo a mesma. Fá-la-ei sair, diz o SENHOR dos Exércitos, e a farei entrar na casa do ladrão e na casa do que jurar falsamente pelo meu nome; nela, pernoitará e consumirá a sua madeira e as suas pedras”.  Zacarias 5:1-4.

                                                                  


Há aqui uma chamada à santidade de vida! O profeta Zacarias, cujo nome significa Deus lembrou-se, é também chamado de profeta messiânico pelo numero de profecias trazidas acerca da Vinda do Messias. Aqui temos mais uma visão intrigante trazida da parte do Senhor por meio dele. É mostrado ao profeta um rolo voante, um espécie de pergaminho com uma sentença escrita.

Aqui vemos um veloz julgamento da parte de Deus sobre toda impiedade da terra. Vale lembrar que a velocidade aqui é medida pelo velocímetro de Deus, não o do homem! O Senhor é reto Juiz e julga com equidade. O curioso é que o rolo voante mencionado tem a medida exata do Santo dos Santos.  Não há assimetria no julgamento de Deus. Tudo vem na medida exata!

Nada ficará impune. A sentença já saiu. E em breve o Juiz do Universo liberará a sentença já decretada e ai dos transgressores e suas corrupções! Não ficará pedra sobre pedra! Nadia Malta. http://ocolodopai.blogspot.com.br/





quarta-feira, 26 de agosto de 2015

Meditação/Nadia Malta/É TEMPO DE DISCIPLINA E JUÍZO!

É TEMPO DE DISCIPLINA E JUÍZO!

 “Outra vez, levantei os olhos e vi, e eis que quatro carros saíam dentre dois montes, e estes montes eram de bronze. No primeiro carro, os cavalos eram vermelhos, no segundo, pretos, no terceiro, brancos e no quarto, baios; todos eram fortes. Então, perguntei ao anjo que falava comigo: que é isto, meu senhor? Respondeu-me o anjo: São os quatro ventos do céu, que saem donde estavam perante o Senhor de toda a terra”. Zacarias 6:1-5.

                                                                          


Consertemos os nossos caminhos e restauremos o santuário. O texto traz a última das oito visões dadas pelo Senhor ao profeta Zacarias. Todas as visões falam da mesma coisa: Restauração para o povo escolhido e julgamento para os ímpios de toda a terra. Esta especificamente traz um sentido escatológico, porque aponta para dias vindouros.

Temos ouvido uma série de mensagens por meio de vários instrumentos de Deus com vistas a uma preparação do povo escolhido para a Vinda do Senhor que dia a dia se avizinha. Essa preparação começa com a restauração do templo dele que somos nós!  O que temos visto na terra hoje tem causado assombro. Nunca se viu tanta impiedade. A medida da iniquidade tem transbordado e o mais grave, a tendência é piorar. Isto não é alarmismo, mas a constatação de uma realidade vigente. Como povo escolhido do Senhor precisamos de preparação para não envergonhar seu glorioso nome e para fazer o que precisa ser feito: Anunciar com ousadia o Cristo!

 Não podemos perder de vista que bondade e severidade são atributos do mesmo Deus. Enquanto o ímpio recebe sobre si a ira divina para a perdição eterna, o escolhido é disciplinado para conserto e ainda que ele morra há esperança! Uma palavra de Jesus para os seus eleitos no Evangelho segundo Lucas: “Tenham cuidado, para que os seus corações não fiquem carregados de libertinagem, bebedeira e ansiedades da vida, e aquele dia venha sobre vocês inesperadamente. Porque ele virá sobre todos os que vivem na face de toda a terra. Estejam sempre atentos e orem para que vocês possam escapar de tudo o que está para acontecer, e estar de pé diante do Filho do homem". Consertemos os nossos caminhos e voltemos ao Senhor! Nadia Malta. http://ocolodopai.blogspot.com.br/



terça-feira, 25 de agosto de 2015

Mmmeditação/Nadia Malta/RECOBREMOS O ÂNIMO E CONTINUEMOS A CORRIDA!

RECOBREMOS O ÂNIMO E CONTINUEMOS A CORRIDA!

Ora, na vossa luta contra o pecado, ainda não tendes resistido até ao sangue e estais esquecidos da exortação que, como a filhos, discorre convosco: Filho meu, não menosprezes a correção que vem do Senhor, nem desmaies quando por ele és reprovado; porque o Senhor corrige a quem ama e açoita a todo filho a quem recebe. É para disciplina que perseverais (Deus vos trata como filhos); pois que filho há que o pai não corrige? Mas, se estais sem correção, de que todos se têm tornado participantes, logo, sois bastardos e não filhos. Além disso, tínhamos os nossos pais segundo a carne, que nos corrigiam, e os respeitávamos; não havemos de estar em muito maior submissão ao Pai espiritual e, então, viveremos? Pois eles nos corrigiam por pouco tempo, segundo melhor lhes parecia; Deus, porém, nos disciplina para aproveitamento, a fim de sermos participantes da sua santidade. Toda disciplina, com efeito, no momento não parece ser motivo de alegria, mas de tristeza; ao depois, entretanto, produz fruto pacífico aos que têm sido por ela exercitados, fruto de justiça. Por isso, restabelecei as mãos descaídas e os joelhos trôpegos; e fazei caminhos retos para os pés, para que não se extravie o que é manco; antes, seja curado”. Hb. 12.4-13

                                                             


Este capítulo de Hebreus, nos remete a uma espécie de estádio, onde se realiza corridas atléticas. Já no primeiro versículo o autor diz: “Portanto, também nós, visto que temos a rodear-nos tão grande nuvem de testemunhas, desembaraçando-nos de todo o peso e do pecado que tenazmente nos assedia, corramos com perseverança a carreira que nos está proposta”. Aqui entendemos que há uma corrida de fé a ser empreendida e percorrê-la vitoriosamente é o nosso objetivo. Alguns corredores cansam e desmaiam, enquanto outros perseveram até o fim e conquistam o prêmio. Precisamos olhar para os campeões dessa corrida que estão mencionados no capítulo 11 desta epístola e são chamados de heróis da fé. O propósito do atleta é trazer glória e honra para sua nação. Este é um sinal de patriotismo. Do mesmo modo, nós como corredores espirituais precisamos chegar vitoriosos em nossa pátria celestial.

A principal lição do texto é a perseverança que devemos ter para completar a corrida da fé mesmo em meio aos obstáculos. A vida dos que desejam viver piedosamente é uma vida marcada por provas, muitas vezes duras e incompreensíveis. E isto nos leva a uma pergunta inevitável: POR QUE SOMOS PROVADOS POR DEUS? As provas são testes de fé ou correção para que abandonemos pecados recalcitrantes. E a Palavra de Deus está repleta de exemplos sobre este assunto. Tanto uma situação quanto a outra nos revela que somos filhos a quem o Senhor ama e corrige, visando um fim proveitoso. Hoje, no entanto, gostaria de me ater na correção de Deus quando seus filhos pecam.


Por mais dolorosa que seja uma prova é sinal do zelo amoroso de Deus. Ele não desiste de nós, nos corrige. Somos corrigidos porque somos filhos. Deus deseja que nos tornemos maduros, que vençamos a grande corrida da fé. A atitude correta face às provações é demonstrar reverencia ao Pai sujeitando-se a ele.  Todos nós estamos passando por provas! Não desanimemos, continuemos correndo! Deus tem propósito nesta situação e já nos habilitou para a vitória. Nadia Malta. http://ocolodopai.blogspot.com.br/

segunda-feira, 24 de agosto de 2015

Meditação/Nadia malta/ERGAMOS AS NOSSAS MÃOS E PELEJEMOS JUNTOS!

ERGAMOS AS NOSSAS MÃOS E PELEJEMOS JUNTOS! 

Então, veio Amaleque e pelejou contra Israel em Refidim. Com isso, ordenou Moisés a Josué: Escolhe-nos homens, e sai, e peleja contra Amaleque; amanhã, estarei eu no cimo do outeiro, e o bordão de Deus estará na minha mão. Fez Josué como Moisés lhe dissera e pelejou contra Amaleque; Moisés, porém, Arão e Hur subiram ao cimo do outeiro. Quando Moisés levantava a mão, Israel prevalecia; quando, porém, ele abaixava a mão, prevalecia Amaleque. Ora, as mãos de Moisés eram pesadas; por isso, tomaram uma pedra e a puseram por baixo dele, e ele nela se assentou; Arão e Hur sustentavam-lhe as mãos, um, de um lado, e o outro, do outro; assim lhe ficaram as mãos firmes até ao pôr do sol. E Josué desbaratou a Amaleque e a seu povo a fio de espada. Então, disse o SENHOR a Moisés: Escreve isto para memória num livro e repete-o a Josué; porque eu hei de riscar totalmente a memória de Amaleque de debaixo do céu. E Moisés edificou um altar e lhe chamou: O SENHOR É Minha Bandeira. E disse: Porquanto o SENHOR jurou, haverá guerra do SENHOR contra Amaleque de geração em geração”. Êxodo 17.8-16

                                                                       


O texto fala da perseguição dos amalequitas ao povo de Israel na travessia do deserto. Eles faziam parte de uma tribo de beduínos que vivia no sul da Palestina, segundo Dr. Russel Shedd. Provavelmente eram descendentes de Esaú. Possuíam uma natureza opositora e traiçoeira. Eram ferrenhos inimigos de Israel e considerados um dos tipos de satanás nas Escrituras Sagradas. Esse texto mostra a vigilância que devemos ter, bem como as estratégias que devemos usar nas lutas contra os nossos opositores, os amalequitas modernos, que estão por toda a parte e não se cansam de tramar contra o povo de Deus. São aqueles principados e potestades, aqueles príncipes espirituais da maldade que se levantam a todo o momento usando seres humanos como instrumentos para nos atingir. Muitas vezes os amalequitas estão dentro de nossa própria casa, dentro de nossas igrejas, estejamos atentos!

A jornada do servo de Deus nesta vida é uma contínua batalha. O nosso adversário não nos dá trégua, está sempre à espreita para nos atingir com seus dardos inflamados, seu propósito é roubar, matar e destruir, sempre. O apóstolo Paulo em Efésios diz que a nossa luta não é contra sangue e carne (seres humanos), mas contra principados e potestades, contra os príncipes espirituais da maldade nas regiões celestes, por isso devemos nos fortalecer no Senhor e na força do seu poder, nos revestindo com toda a armadura de Deus para poder ficar firmes contra as astutas ciladas do maligno. Essa é uma verdade que não podemos esquecer hora nenhuma! O grande problema é que esquecemos e negligenciamos a batalha e é exatamente aí que somos apanhados. É na hora do maior cansaço ou do maior descuido. Não se iluda onde há uma luta humana, seja em que área for, há uma ação amalequita por trás. Por isso, a oração vigilante e a vida no altar continuamente nos garantirão a vitória em todas as investidas.

Prestemos atenção nos amaleques ao nosso redor, a nossa luta nunca é contra seres humanos, mas contra forças espirituais do mal. Não desistamos da luta! Devemos buscar os lugares altos da fé perseverante e da meditação nas promessas de Deus. Levantemos as mãos em oração incessante, tanto por nós mesmos quanto por aqueles que estão à frente dos grandes combates. Façamos isto até a vitória chegar. Busquemos parceiros de oração, não fiquemos na batalha sozinhos. Não tenhamos medo, o inimigo será destruído. Levantemos a Bandeira do Senhor onde quer que estejamos. Testemunhemos sempre sobre os feitos de Deus. Vigiemos sempre, as batalhas são muitas e a guerra só acaba quando passarmos a eternidade. Nadia Malta. http://ocolodopai.blogspot.com.br/


domingo, 23 de agosto de 2015

Meditação/Nadia Malta/QUAL O NOSSO “PORÉM”?

QUAL O NOSSO “PORÉM”?

Naamã, comandante do exercito do rei da Síria, era grande homem diante do seu senhor e de muito conceito, porque por ele, o Senhor dera vitória à Síria; era ele herói de guerra, porém leproso”. II Rs. 5.1.

                                                                         


Busquemos o Senhor e apresentemos a ele o NOSSO “porém”. O texto é o primeiro versículo do contexto que conta a história de Naamã, general que comandava o exército do rei da Síria. São na verdade, dezenove versículos que narram a trajetória desse homem bem sucedido em várias áreas de sua vida. Naamã tinha seu talento reconhecido pelo próprio rei. Era amado e respeitado por seus soldados. Era de certa maneira abençoado por Deus, porque foi por intermédio dele que o Senhor dera vitória a Síria. Ele era amado por sua esposa que se preocupava com ele. Era valente e gozava de uma posição privilegiada no reino. Naamã era quase feliz.

Por que Naamã não era feliz? Porque havia um “porém” na vida dele! ELE ERA LEPROSO! Lepra na Bíblia é sinônimo de pecado. Naquela época, a lepra não tinha cura. Era uma doença degenerativa, segregadora (privava o doente do convívio social) e o levava a uma morte lenta, sofrida e solitária.  Existem muitos “Naamãs” à nossa volta. Talvez você mesmo seja um deles. Muitos se sentem como aquele comandante sírio, são quase felizes. Apesar de terem alcançado sucesso em várias áreas de suas vidas, há um “porém” que atravanca, que atrapalha a vida, que entristece e impede que gozem de uma plenitude! Conhecemos tantas pessoas assim!

Qual o “porém” da sua vida que o impede de viver uma vida plena na presença do seu Deus? Deixe que o Espírito Santo revele ao seu coração. Ele está trazendo palavras de cura, de libertação e renovo para a sua vida. Naamã, não se acomodou ao seu “porém” como muitos fazem. Ele foi à luta e assim que a chance apareceu ele tratou de aproveitá-la. Nadia Malta. http://ocolodopai.blogspot.com.br/






sábado, 22 de agosto de 2015

Meditação/Nadia Malta/UMA PROMESSA DE ESPERANÇA!

UMA PROMESSA DE ESPERANÇA!

                                                                                         

Alegrai-vos, pois, filhos de Sião, regozijai-vos no SENHOR, vosso Deus, porque ele vos dará em justa medida a chuva; fará descer, como outrora, a chuva temporã e a serôdia. As eiras se encherão de trigo, e os lagares transbordarão de vinho e de óleo. Restituir-vos-ei os anos que foram consumidos pelo gafanhoto migrador, pelo destruidor e pelo cortador, o meu grande exército que enviei contra vós outros. Comereis abundantemente, e vos fartareis, e louvareis o nome do SENHOR, vosso Deus, que se houve maravilhosamente convosco; e o meu povo jamais será envergonhado. Sabereis que estou no meio de Israel e que eu Sou o SENHOR, vosso Deus, e não há outro; e o meu povo jamais será envergonhado”. Joel 2.23-27.

                                                                       
                                                  

O Senhor aqui promete ânimo e esperança aos abatidos e desalentados de espírito. O profeta Joel é chamado de profeta pentecostal, pois além de trazer uma palavra de esperança para um Israel assolado e abatido, ele ainda traz a promessa de um derramamento do Espírito Santo sobre todos os crentes. A profecia de Joel é chamada de grande sermão da esperança. O texto lido trata da restituição que Deus tem para os arrependidos que se voltam para ele. Falando aos Coríntios o apóstolo Paulo faz uma citação de Is. 64.4 que ratifica a ideia trazida aqui pelo profeta Joel, o texto diz: “Mas como está escrito: Nem olhos viram, nem ouvidos ouviram, nem jamais penetrou em coração humano o que Deus tem preparado para aqueles que o amam”. Grandes coisas têm o Senhor para todos que o amam e o buscam com sinceridade de coração.

Inegavelmente, vivemos tempos de insegurança, instabilidade, desassossego, desesperança e inquietação. Todos lutam de uma maneira ou de outra para se livrar ou superar tudo isto, contudo, a maior e verdadeira necessidade do homem é Jesus. Mas esse mesmo homem dominado por um espírito de rebelião, não sabe disso, e quem deveria dizer o faz de maneira contrária a Santa palavra de Deus, tentando mercadejá-la como uma mercadoria barata. Eles oferecem as bênçãos pelas bênçãos, sem nenhuma responsabilidade ou compromisso com o abençoador. Só um encontro restaurador com o Senhor ressurreto é capaz de devolver o ânimo e a esperança perdidos, mas a fonte desse estado de espírito é o próprio Senhor. Ele é o novo e vivo Caminho que nos leva ao Pai Celestial, que nos conduz em triunfo.


Particularmente, não sei como se pode viver sem Jesus no mundo, especialmente hoje. Não falo de uma religiosidade exterior, mas de um relacionamento intimo com ele. As palavras proferidas por Joel tantos anos atrás nos soam tão atuais como se tivessem sido escritas para o tempo de agora. Tanto os leitores de Joel daquela época, quanto os de hoje, precisam de uma só coisa: mudar a rota da vida e voltar-se para Deus, por meio de Cristo. Esta palavra é para os que estão longe e para os que estão perto. É ao mesmo tempo uma palavra de salvação e de restauração. Atentemos para ela com temor e tremor! Nadia Malta. http://ocolodopai.blogspot.com.br/

sexta-feira, 21 de agosto de 2015

Meditação/Nadia Malta/O SENHOR, O NOSSO VERDADEIRO SOCORRO, SEMPRE!

O SENHOR, O NOSSO VERDADEIRO SOCORRO, SEMPRE!  

O nosso socorro está em o nome do SENHOR, criador do céu e da terra”. Salmo 124.8.
Despertemos e reconheçamos o amor e o cuidado de Deus, nosso único e verdadeiro Salvador, nos livrando dos laços do adversário.  Agradeçamos pelas inúmeras intervenções dele em nossas vidas.

                                                               


A grande declaração aqui é: O Senhor é o Nosso Único e Verdadeiro Salvador, o nosso Socorro em meio às lutas que enfrentamos! Este salmo é ao mesmo tempo um Cântico de Ação de Graças a Deus pelos livramentos dados ao rei Davi, como também um alerta a vigiarmos em oração constantemente. É um dos cânticos de romagem, cantados nas peregrinações para Jerusalém, com a finalidade de manter viva na memória do povo os grandes feitos de Deus. O rei fala aqui não só dos livramentos pessoais, mas traz à memória o que o Senhor fez também pelo seu povo por ocasião das grandes lutas enfrentadas ao longo de sua história.

A ideia central aqui é o reconhecimento da intervenção divina em todas as situações pelas quais passaram os servos do passado e também os dos nossos dias. O salmista diz: “Muitas são as aflições do justo, mas o Senhor de todas o livra”. Esta é sem a menor sombra de dúvida uma verdade irrefutável. Somos assolados e assombrados de todas as formas. A nossa vida deste lado da eternidade, na verdade é uma sucessão de batalhas a serem travadas. Isso demanda uma atitude constante de vigilância e oração perseverante, pois o nosso adversário é astuto e trama o tempo inteiro contra nós.
A oração, a fé, a prontidão, a perseverança e a vigilância é que vão nos garantir a vitória sobre as hostes do mal. Para isso precisamos deixar de ser meninos na fé e levar a serio a advertência de Pedro em I Pe 5.8 que diz: “Sede sóbrios e vigilantes, o diabo vosso adversário anda em derredor, rugindo como leão buscando alguém que ele possa tragar”. A vida do povo de Deus sempre foi de oposições ferrenhas e quanto mais se aproxima a Segunda Vinda de Cristo, mais essa oposição se torna violenta, já que o inimigo sabe que tem pouco tempo para agir.


Já reparou quantos sem causa tentam nos afrontar? Da mesma maneira que depois da tempestade vem a bonança, a calmaria é sempre sinal de tempestade. Por que não reconhecemos os sinais que o Senhor nos envia? A igreja não é um transatlântico de turismo, é um navio de guerra e todos os santos estão engajados nessa guerra, não como voluntários, mas como soldados arregimentados pelo Grande General. Quando olhamos para este salmo é inevitável não demonstrarmos nossa atitude de ação de graças por tudo que ele tem feito em nossas vidas. Por isso bradamos como o próprio salmista dizendo: “Ah, se não fosse o Senhor que esteve ao nosso lado!”. Nadia Malta. http://ocolodopai.blogspot.com.br/

quinta-feira, 20 de agosto de 2015

Meditação/Nadia Malta/DE UM JEITO OU DE OUTRO SOMOS LIVRADOS!

DE UM JEITO OU DE OUTRO SOMOS LIVRADOS!

Ordenou aos homens mais poderosos que estavam no seu exército que atassem a Sadraque, Mesaque e Abede-Nego e os lançassem na fornalha de fogo ardente. Então, estes homens foram atados com os seus mantos, suas túnicas e chapéus e suas outras roupas e foram lançados na fornalha sobremaneira acesa. Porque a palavra do rei era urgente e a fornalha estava sobremaneira acesa, as chamas do fogo mataram os homens que lançaram de cima para dentro a Sadraque, Mesaque e Abede-Nego. Estes três homens, Sadraque, Mesaque e Abede-Nego, caíram atados dentro da fornalha sobremaneira acesa. Então, o rei Nabucodonosor se espantou, e se levantou depressa, e disse aos seus conselheiros: Não lançamos nós três homens atados dentro do fogo? Responderam ao rei: É verdade, ó rei. Tornou ele e disse: Eu, porém, vejo quatro homens soltos, que andam passeando dentro do fogo, sem nenhum dano; e o aspecto do quarto é semelhante a um filho dos deuses”. Daniel 3.20-25.

                                                                        


Ousemos perseverar na fé e na fidelidade mesmo em meio ao sofrimento. De um jeito ou de outro o Senhor nos livra. O texto todo que vai do versículo um até o trinta fala da postura ousada e fiel dos companheiros de Daniel diante da exigência arbitrária da autoridade humana constituída sobre eles (Rei Nabucodonosor). Podemos e devemos sim contrariar uma autoridade constituída, mesmo com prejuízo próprio, quando o que nos é exigido contraria a vontade de Deus expressa em sua Palavra. O texto nos leva a refletir sobre isto!

Até que ponto devemos obedecer as ordens das autoridades humanas constituídas sobre nós? A resposta fica bem clara no texto, embora muitas vezes tenhamos que pagar um alto preço por nossa obediência ao Senhor, mesmo que custe a nossa própria vida como tem acontecido com os cristãos orientais, importa mais obedecer a Deus do que a homens. Temos experimentado na carne as oposições e aflições da caminhada. Quanto mais se aproxima a Segunda Vinda, mais e mais a igreja será provada. É precisamente esse batismo de fogo que autentica a nossa postura de fé como cristãos professos nos colocando de pé na presença do Deus vivo! Assim como o dinheiro na vida de um servo revela seu caráter, as provas revelam a legitimidade de sua fé. Atentemos para isto!

A grande lição do texto é que devemos sim, ir de encontro às ordens dadas pelas autoridades constituídas sobre nós, quando essas ordens ferem frontalmente a vontade revelada de Deus em sua Santa Palavra. Aprendemos aqui também que quando nos posicionamos em relação a nossa fé pagaremos um preço, muitas vezes somos jogados na fornalha sobremaneira quente, mas é precisamente na fornalha que o Senhor manifesta o seu poder, vindo ele mesmo ao nosso encontro, nos livrando e nos honrando diante dos nossos opositores. Nessas situações se vivermos ou morrermos o nome do Senhor será glorificado! Confiemos no Senhor! Nadia Malta. http://ocolodopai.blogspot.com.br/


quarta-feira, 19 de agosto de 2015

Meditação/Nadia Malta/ELE VEM SEM DEMORA!

ELE VEM SEM DEMORA! 

Ao anjo da igreja em Filadélfia escreve: Estas coisas diz o santo, o verdadeiro, aquele que tem a chave de Davi, que abre, e ninguém fechará, e que fecha, e ninguém abrirá: Conheço as tuas obras – eis que tenho posto diante de ti uma porta aberta, a qual ninguém pode fechar – que tens pouca força, entretanto, guardaste a minha palavra e não negaste o meu nome. Eis farei que alguns dos que são da sinagoga de Satanás, desses que a si mesmos se declaram judeus e não são, mas mentem, eis que os farei vir e prostrar-se aos teus pés e conhecer que eu te amei. Porque guardaste a palavra da minha perseverança, também eu te guardarei da hora da provação que há de vir sobre o mundo inteiro, para experimentar os que habitam sobre a terra. Venho sem demora. Conserva o que tens, para que ninguém tome a tua coroa”. Apocalipse. 3.7-11.

                                                                


Estejamos atentos para a iminente vinda do Senhor Jesus Cristo. Jesus enviou cartas às sete igrejas da Ásia Menor. Nessas cartas ele revela que não vê a igreja da mesma maneira que nós a vemos. Há gritantes contrastes quando as igrejas estão sob o olhar perscrutador de Jesus. Nós vemos aparência, ele vê o coração da igreja e de cada crente em particular. O Senhor faz uma radiografia de cada uma delas. Aqui gostaria de chamar a atenção para a Igreja de Filadélfia, a igreja do amor fraternal. Tinha pouca força aos olhos do mundo, mas era uma igreja fiel, perseverante, diante da qual o Senhor colocou uma porta aberta. A esta igreja o Senhor diz: “Venho sem demora. Conserva o que tens para que ninguém roube a tua coroa!”.

As igrejas para as quais Jesus escreveu, eram representativas de toda a história eclesiástica através dos tempos. É importante observarmos todo esse panorama geral das igrejas para entendermos o momento profético que estamos vivendo hoje. É tempo de preparação.  A releitura da carta à Filadélfia é oportuna, pois esta é a igreja fiel que espera a volta iminente de Jesus, é também chamada por alguns estudiosos de Escatologia, de a igreja do ARREBATAMENTO. Filadélfia representa a genuína igreja Cristã dos últimos dias. Ela não é uma igreja local, mas aponta para um remanescente fiel encontrado em cada igreja. Quer Jesus venha antes, durante ou após o Arrebatamento Filadélfia estará pronta esperando o seu Senhor.

A igreja precisa estar preparada para os dias que já chegaram. Certamente são tempos difíceis. Paulo falando a Timóteo já alertava quanto aos dias em que vivemos. Dizia ele: “nos últimos dias, surgirão tempos difíceis, quando os homens se tornarão egoístas, avarentos, jactanciosos, arrogantes, blasfemadores, desobedientes aos pais, ingratos, irreverentes, desafeiçoados, implacáveis, caluniadores, sem domínio de si, cruéis, inimigos do bem, traidores, atrevidos, enfatuados e mais amigos dos prazeres que amigos de Deus”. As palavras do apóstolo Paulo nunca soaram tão atuais como nos dias de hoje. Há uma inversão tremenda de valores e as pessoas têm uma atração fatal por tudo que nega a Deus. O desafio da igreja hoje é muito grande. Mais do que em qualquer outra época precisamos à semelhança de Filadélfia, nos manter fieis não transigindo com o mundo para tornar a Palavra palatável aos incomodados!

A porta está aberta para a salvação, santificação, comunhão e ao serviço abnegado. Jesus espera que a aproveitemos o tempo de oportunidade e façamos a sua obra.   Precisamos nos manter fiéis e conservar o que já recebemos. Vamos cuidar da obra do Senhor para que ele cuide da nossa, ou seja, para que ele trate com todos aqueles que têm se levantado aleivosamente contra nós. Ele diz: “VENHO SEM DEMORA, CONSERVA O QUE TENS!”.  Estejamos vigilantes! Nadia Malta. http://ocolodopai.blogspot.com.br/


terça-feira, 18 de agosto de 2015

Meditação/Nadia Malta/UM APELO À SANTIDADE!

UM APELO À SANTIDADE!

 “Disse Josué ao povo: Santificai-vos, porque amanhã o SENHOR fará maravilhas no meio de vós. E também falou aos sacerdotes, dizendo: Levantai a arca da Aliança e passai adiante do povo. Levantaram, pois, a arca da Aliança e foram andando adiante do povo”. Josué 3. 5.

                                                                         
                           

Busquemos como povo de Deus um viver separado do mundo no que diz respeito às suas práticas.  O texto na realidade, começa no versículo 1 deste capítulo e conta a história da travessia do rio Jordão pelos Israelitas, sob o comando do general Josué, rumo a Jericó. O povo precisava atravessar o rio e tomar posse da Terra Prometida, contudo, para que eles tivessem sucesso nessa jornada uma coisa era necessária: santificação. Santificação não é impecabilidade, mas uma inclinação para fazer a vontade de Deus bem como uma consciência daquilo que lhe desagrada. Deus operou maravilhas no passado e quer operar hoje em nossas vidas, mas há um namoro do povo de Deus com o mundo, uma contaminação que impressiona!

Para entendermos melhor o texto lido, olhemos para o passado: O povo de Deus havia se acostumado aos hábitos egípcios durante os 430 anos de cativeiro. Josué agora, instruído por Deus requeria uma mudança nos hábitos, nos valores, nos costumes e na crença do povo que havia se contaminado com a maneira de ser pagã dos egípcios. O Senhor deu instruções ao povo e deu instruções aos sacerdotes. Se quisermos fazer travessias vitoriosas, precisamos nos distinguir do mundo, nos santificando. O andar diário com o Cristo ressurreto produz um discipulado santificador. Aliás, o discipulado do crente só termina quando ele fechar os olhos nesta terra.

Não estamos dizendo que devemos ficar numa bolha ou mosteiro, é necessário sim, nos aproximar dos pecadores, mas não nos contaminar com suas práticas. O próprio Jesus nos ensinou essa lição. Em sua oração sacerdotal, Jesus pede ao Pai não que nos tire do mundo, mas que nos livre do mal. Graça de Deus não é licença para pecar. Temos a tendência natural de criticar os antigos pelo fato de Deus se manifestar a eles de forma portentosa e ainda assim, eles prevaricavam, entristecendo o coração de Deus. No entanto, se formos bastante honestos veremos que fazemos pior do que eles, pois o Espírito de Deus não está apenas ao nosso lado, mas dentro de nós. E o temos entristecido com as nossas atitudes, nos associando ao mundo quanto as suas práticas e métodos e nos rendendo às inclinações da nossa carne.

A vida do povo de Deus é uma vida de travessias e isso começou desde a saída de Abraão de Ur na Caldeia rumo a uma terra que ele nem conhecia e que lhe seria mostrada pelo Senhor ao longo da jornada. Anos mais tarde, Jacó e sua família atravessariam Jaboque. Depois veio a saída do Egito. O povo atravessou o Mar Vermelho, depois o deserto e o rio Jordão. Cada uma dessas travessias tem um propósito santificador de Deus.  Santificação não é uma máscara que usamos apenas no domingo em nossas assembleias solenes, nem clichês e cacoetes pentecostais para impressionar os tolos, ou ainda maneiras de emboscar o Espírito Santo para que Ele trabalhe ao nosso favor, mas uma santa e contínua compulsão de fazer a vontade de Deus e interferir positivamente aonde quer que estejamos, para que Cristo seja revelado através de nós. Santificação é a mais sublime das maneiras de cultuar ao Senhor. É temor do Senhor e vida no altar e altar é lugar de rendição e de morte! A santificação através de um discipulado relacional e experiencial com o Senhor tem o propósito de produzir Cristo em Nós. “A natureza humana liberta da escravidão do pecado é capaz de espantosa santidade” diz Brennan Mainning em seu livro A Assinatura de Jesus. Nadia Malta. http://ocolodopai.blogspot.com.br/


segunda-feira, 17 de agosto de 2015

Meditação/Nadia Malta/CORAGEM, ESTA LUTA NÃO É SUA, MAS DE DEUS!

CORAGEM, ESTA LUTA NÃO É SUA, MAS DE DEUS!

Então, Asa saiu contra ele; e ordenaram a batalha no vale de Zefatá, perto de Maressa. Clamou Asa ao SENHOR, seu Deus, e disse: SENHOR, além de ti não há quem possa socorrer numa batalha entre o poderoso e o fraco; ajuda-nos, pois, SENHOR, nosso Deus, porque em ti confiamos e no teu nome viemos contra esta multidão. SENHOR, tu és o nosso Deus, não prevaleça contra ti o homem”. II Crônicas 14.10-11.

                                                                           


Recobremos o ânimo e confiemos somente no Senhor para vencer cada batalha que surge e não são poucas! O texto todo vai do versículo um até o quinze e mostra um episódio ocorrido no reinado de Asa, rei de Judá.  Asa sucedeu seu pai, Abias. Ele fez o que era reto e bom diante do Senhor. Por causa da sua fidelidade, Deus deu repouso a terra e havia paz. Mesmo à despeito da fidelidade de Asa, levanta-se Zerá, o etíope, comandante do exército de faraó, contra o pequeno e despreparado reino de Judá.  Por que sofre o justo? Esta é a pergunta que sempre surge na hora do sofrimento. De um jeito ou de outro o servo de Deus é livrado para a glória do Senhor! O Rei Asa fez uma grande reforma religiosa em seu reino. Levou o povo a consertar as suas veredas. Aboliu os altares dos deuses estranhos. Aboliu o culto nos altos. Quebrou as colunas místicas, derrubou os altares de incenso e derrubou os postes-ídolos. Ordenou ao seu povo que buscasse ao Senhor, Deus de seus pais e observasse a Lei e o Mandamento. Edificou cidades fortificadas, cercou-as com muros.

Como havia paz na terra, o contingente militar de Judá era pequeno: ao todo o exército somava apenas 580.000 homens. O exército inimigo era formado por 1.000.000 de homens, mais 300 carros de guerra. A intimidação tem sido sempre a arma preferida do adversário para atingir o povo de Deus. Ele sabe o poder de fogo que o medo tem sobre nós por isso nos intimida. O medo gera ansiedade, tormento que por sua vez gera alguns tipos de depressão e outras patologias emocionais que nos têm paralisado. Mas o Senhor, segundo alguns estudiosos, nos ordena 366 vezes em sua Palavra: A NÃO TEMER!

O que fazer em uma demanda como a do rei Asa? Clamar ao Deus Vivo e pela fé esperar a vitória! O salmista ratifica essa ideia e diz: “Elevo os olhos para os montes; de onde me virá o socorro? Meu socorro vem do Senhor, que fez o céu e a terra”. O clamor de Asa ao Deus vivo foi uma vitoriosa arma de guerra. São muitas as ocasiões em que encontramos servos fiéis de Deus, assolados por batalhas cruéis, onde o poder de fogo do inimigo é violentíssimo. São muitas as aflições do justo, mas ao mesmo tempo é nesses momentos que descobrimos a fé necessária para vencê-las. Qual o propósito dessas duras provas? Amadurecimento espiritual, testes de fé e ou consertos. O texto fala sobre essas lutas e desafios que enfrentamos enquanto peregrinos nesta terra. É sempre bom voltarmos às experiências vividas pelos servos de Deus do passado, e tirarmos delas lições preciosas, aplicando-as às nossas vidas. Há princípios nessas experiências, que não podem ser desprezados. O mesmo Deus que agia no passado age hoje.

Quer ter vitória nas suas demandas? Então, que tal: começar fazendo os consertos necessários, tapar as brechas, confessar e abandonar pecados se for o caso, derrubar os altares, caso existam; tirar as coisas condenadas da sua vida e buscar ao Senhor somente? Que tal reconhecer que só o Senhor é Deus; que só Ele é poderoso na batalha? Confiemos em Deus e não nos atemorizemos com o tamanho do inimigo; ele se levantou, mas vai cair em nome de Jesus! Quando andamos em fidelidade, as nossas pelejas não só nossas, mas de Deus. Diz o salmista: “Espera pelo Senhor, tem bom ânimo, e fortifique-se o teu coração; espera, pois, pelo Senhor”. Nadia Malta. http://ocolodopai.blogspot.com.br/



domingo, 16 de agosto de 2015

Meditação/Nadia Malta/EMPENHAI-VOS EM AMAR O SENHOR!

EMPENHAI-VOS EM AMAR O SENHOR!

“Portanto, empenhai-vos em guardar a vossa alma, para amardes o Senhor vosso Deus!”. Josué 23.11.

                                                                       


Voltemo-nos para o Senhor em amor e obediência. O capítulos 23 e 24 deste livro apresentam as palavras de despedida de Josué ao povo de Deus. Além de trazer à memória os feitos de Deus, Josué traz também uma série de exortações e instruções imperativas para que o povo andasse em fidelidade. O versículo citado é uma síntese daquilo que é requerido de nós como povo de Deus.

Inegavelmente vivemos dias maus sobre a terra. Uma simples olhada à nossa volta confirma este fato. Por isso mais do que em qualquer outra época, o povo de Deus precisa fazer a diferença com testemunhos que glorifiquem ao Senhor. Como conseguir isto se somos emboscados a todo o momento pelas ofertas do mundo, pelos estímulos do diabo e pelos apelos de nossa própria carne ainda pecaminosa? A resposta a essa pergunta, sem dúvida é a busca constante de um enchimento contínuo do Espírito Santo que nos levará a um amor profundo e reverente pelo Senhor e consequentemente a uma atitude de empenhada vigilância e oração.


A salvação é de graça e pela graça. Depende de Deus, é ideia de Deus. É iniciativa de Deus e acontece por meio dele alcançando o homem através de um chamado irresistível de sua maravilhosa graça. A Santificação é trabalho de Deus também pela graça no coração regenerado do homem, mas depende do quanto esse homem se deixa ministrar pelo Espírito Santo. É uma parceria entre o Espírito Santo e o homem regenerado. Por isso o texto fala de empenho, que sugere esforço e trabalho. Que sejamos alunos ensináveis e diligentes para nos deixar ministrar pelo Mestre por excelência. Que Deus aplique esta palavra ao nosso coração, operando mudanças profundas. Nadia Malta. http://ocolodopai.blogspot.com.br/

sábado, 15 de agosto de 2015

Meditação/CUIDADO COM O SEU CORAÇÃO!

CUIDADO COM O SEU CORAÇÃO!

Sobre tudo o que se deve guardar, guarda o coração, porque dele procedem as fontes da vida”. Provérbios 4.23.

                                                          


Atentemos para o segredo da nossa saúde espiritual, para o cuidado que devemos ter com o nosso coração, centro de nossas emoções a fim de nos manter saudáveis tanto espiritualmente quanto  emocionalmente e até mesmo fisicamente. O livro de Provérbios é um dos livros sapienciais, no qual encontramos lições preciosas. Este capítulo mostra Salomão relembrando as instruções que recebera de Davi seu pai, quando era ainda jovem, embora ele mesmo não tenha levado em conta essas instruções, elas são de grande valor para nós. 

Nesses dias o Senhor tem ministrado aos nossos corações sobre a necessidade de nos enchermos do Espírito Santo continuamente. O crente deve ansiar por este enchimento. Quanto mais nos enchemos de Deus mais nos esvaziamos de nós mesmos.  Uma vez cheio do Espírito, o Crente em Jesus tem condições de exercitar uma das observâncias bíblicas mais difíceis: o cuidado que devemos ter com o nosso coração ou com aquilo que armazenamos nele! O Senhor nos instrui dizendo: “O que entra pela boca não torna o homem ‘impuro’; mas o que sai de sua boca, isto o torna ‘impuro’. Mas as coisas que saem da boca vêm do coração, e são essas que tornam o homem ‘impuro”.  Muitos corações são verdadeiros depósitos de lixo. Não é sem razão que há tantas enfermidades emocionais em nosso meio. O que temos armazenado em nosso coração?  Ressentimento, ira, imundície, ciúme, frieza, orgulho, incredulidade, dureza, preconceitos os mais diversos, fingimento, desejos escusos? Na verdade essa lista é enorme. O Salmista no Sl 139.23, 24 clama ao Senhor dizendo: “Sonda-me, ó Deus e conhece o meu coração; prova-me e conhece os meus pensamentos; vê se há em mim algum caminho mau e guia-me pelo caminho eterno”.

Que hoje possamos fazer essa oração do salmista com toda a sinceridade de coração. Sofremos ataques de todos os lados, com o propósito de atingir as nossas emoções e minar a nossa fé. A tarefa de nos manter saudáveis não é fácil. O Senhor está preparando a noiva para subir, ela precisa estar linda e adornada, limpa por dentro e por fora para aquele dia e hora, por isso proteger o coração é imprescindível!  E O QUE DEVEMOS GUARDAR NO CORAÇÃO? O Salmista no Salmo 119.11 responde: “Guardo no coração as tuas palavras para não pecar contra ti”. Este é o grande segredo de nossa saúde espiritual ou de nossa libertação: Ter a palavra de Deus guardada em nossos corações, deixar que ela cumpra o papel para o qual foi designada. Quando nos enchemos de Deus, não há espaço para mais nada, a própria Palavra se encarrega de limpar toda sujeira. Deixemos a Palavra faxinar o nosso coração. Nadia Malta. http://ocolodopai.blogspot.com.br/


Você poderá gostar também de...

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...