domingo, 20 de maio de 2018

Meditação/Nadia Malta/ÁGUAS QUE VIVIFICAM E PURIFICAM DESCERÃO SOBRE NÓS!


ÁGUAS QUE VIVIFICAM E PURIFICAM DESCERÃO SOBRE NÓS!
                                                                                              
 Mediu ainda outros mil, e era já um rio que eu não podia atravessar, porque as águas tinham crescido, águas que se deviam passar a nado, rio pelo qual não se podia passar”. Ezequiel 47.5                                                                   

O texto citado está em um contexto maior que vai do versículo 1 até o versículo 12 e fala de uma visão gloriosa dada por Deus ao profeta Ezequiel em um tempo de cativeiro e dificuldade. O profeta é levado à entrada do templo e vê águas que saem do limiar do templo para o oriente. Ele é levado por um homem que se apresenta com um cordel de medir e começa a medir o nível das águas, cada vez que ele mede faz o profeta passar pelas águas, quanto mais ele entra, mais o nível da água sobe. Essas águas são vivificadoras e purificadoras e brotam do Trono de Deus. Temos falado inúmeras vezes neste espaço que a vida do cristão é uma vida de travessias. Há algum tempo falamos sobre a travessia de Jaboque (Gn. 32), que é a parte mais rasa do Rio Jordão onde se podia passar a pé ou a cavalo. Aquela travessia é chamada de travessia da maturidade. Mas fala também da obra de mudança efetuada pelo Espírito de Deus em nossas vidas.

Hoje gostaria de falar de uma enchente. Não de uma enchente qualquer, mas de uma enchente de águas purificadoras que descem do Trono de Deus, para inundar a vida dos fiéis. Quem de nós não gostaria de experimentar essa torrente do Rio de Deus? A visão de Ezequiel nos dá conta, que por onde essa torrente passou tudo ganhou vida. O próprio profeta parece não ter compreendido muito bem aquela visão. Há um rio cujas águas estão subindo e trarão transformação a quantos crerem e se entregarem ao Deus Vivo. O salmista no Sl 46.4 “diz: “Há um rio, cujas águas alegram a cidade de Deus, o santuário das moradas do Altíssimo”. O santuário das moradas do Altíssimo somos nós e Deus quer nos inundar com sua presença.

A visão de Ezequiel nos traz quatro revelações. As águas do Rio do Espírito de Deus estão subindo e haverá uma grande enchente na vida do povo escolhido. As águas dessa torrente subirão ao nível mais alto, às vésperas do ARREBATAMENTO da igreja. Esse Rio de vida trará renovo por onde passar. Esse Rio de vida trará restauração para os que se voltam para Deus e morte aos que rejeitarem o Senhor. Esse mover do Espírito nos fará pregar com ousadia a Palavra de Deus; fará que estendamos as mãos para curar, salvar, libertar e fazer sinais e prodígios, bem como para abençoar a quantos estiverem à nossa volta. As águas estão subindo, já não haverá parte rasa como em Jaboque, mas será um rio tão caudaloso, que precisaremos nos deixar levar pela força dessa torrente do céu em nome de Jesus Cristo. Essa inundação celestial tem chegado a lugares longínquos da terra, mas é desejo do Senhor que esse aguaceiro do céu venha sobre todos os que têm ansiado por um transbordar de Deus.

Ali, Ezequiel já não podia tomar pé, as águas eram profundas demais e o controle da situação não era mais do profeta, mas das águas. Quanto mais profundo navegamos nas águas do Espírito de Deus, mais as nossas vontades serão submetidas a Ele. Essas águas são vivificadoras, mas purificadoras também. E trarão conserto na vida de muitos. Tudo que você e eu experimentamos até aqui é pequeno demais em comparação ao que está porvir. Quem tem ouvidos ouça o que o Espírito fala a igreja! O poder desse rio tem alcançado, mesmo no meio de perseguições, povos até então alheios e resistentes à Palavra de Deus. Não sabemos de que forma acontecerá esse grande mover, mas de modo assombrosamente maravilhoso ele acontecerá. Em Jo 3.8 diz: “O vento sopra onde quer, ouves a sua voz, mas não sabes de onde vem, nem para onde vai; assim é todo o que é nascido do Espírito”. Esse rio também é aquele que precisa fluir em nós. Contudo, o “crente pantanoso”, rebelde, avesso às mudanças que o Espírito deseja operar, não conhece esse fluir. Do seu interior só flui e com abundancia: queixas, lamentações, mexericos, críticas, acusações e amarguras. Nem todos os que fazem parte do rol visível de membros das igrejas, fazem parte de fato, do rol dos que estão arrolados nos céus. Muitos ficarão de fora por causa da rebeldia e resistência à Palavra de Deus. O que você escolhe ser hoje: um “crente pantanoso” ou um rio de água viva? Nadia Malta  http://ocolodopai.blogspot.com.br/

sábado, 19 de maio de 2018

Meditação/Nadia Malta/O TESTEMUNHO CONFIRMANDO A VOCAÇÃO E A ELEIÇÃO!


O TESTEMUNHO CONFIRMANDO A VOCAÇÃO E A ELEIÇÃO!

"Visto como, pelo seu divino poder, nos têm sido doadas todas as coisas que conduzem à vida e à piedade, pelo conhecimento completo daquele que nos chamou para a sua própria glória e virtude,  pelas quais nos têm sido doadas as suas preciosas e mui grandes promessas, para que por elas vos torneis co-participantes da natureza divina, livrando-vos da corrupção das paixões que há no mundo, por isso mesmo, vós, reunindo toda a vossa diligência, associai com a vossa fé a virtude; com a virtude, o conhecimento;  com o conhecimento, o domínio próprio; com o domínio próprio, a perseverança; com a perseverança, a piedade;  com a piedade, a fraternidade; com a fraternidade, o amor.  Porque estas coisas, existindo em vós e em vós aumentando, fazem com que não sejais nem inativos, nem infrutuosos no pleno conhecimento de nosso Senhor Jesus Cristo. Pois aquele a quem estas coisas não estão presentes é cego, vendo só o que está perto, esquecido da purificação dos seus pecados de outrora. Por isso, irmãos, procurai, com diligência cada vez maior, confirmar a vossa vocação e eleição; porquanto, procedendo assim, não tropeçareis em tempo algum. Pois desta maneira é que vos será amplamente suprida a entrada no reino eterno de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo”.2 Pedro 1:3-11.                                           



O texto lido é uma exortação do apóstolo Pedro aos cristãos da Ásia Menor e de todas as épocas a viverem uma vida de consagração e santidade ao Senhor. Ele fala da necessidade da prática da Verdade Fiel em face do engano trazido pelos falsos mestres que entravam sorrateiramente nas igrejas disseminando suas heresias malignas. Pedro desejava ver o progresso espiritual daqueles irmãos, mas para que isso acontecesse, eles precisavam se esforçar para sair da carnalidade e buscar ouvir a voz do Espírito Santo e obedecer-lhe as instruções. A grande ênfase do texto é mostrar que os eficazmente alcançados são eleitos e vocacionados não só para a salvação, mas para uma vida de santidade e testemunho verdadeiros. A salvação é de graça e pela graça, todos sabemos disso. A única ação efetiva do homem no que tange a obter a salvação é crer somente! Contudo, para receber as bênçãos de Deus já ordenadas, é necessário viver de acordo com as instruções dadas pelo Senhor na Bíblia Sagrada. O problema é que há dentro de nós uma guerra civil da velha natureza com a nova natureza recriada pelo Espírito de Deus. A natureza que mais alimentarmos sairá vencedora nessa guerra. O Espírito de Deus tem zelo por nós e deseja que completemos vitoriosos a carreira que nos está proposta. Não conseguimos ser santificados na força da carne, cumprindo regras impostas, mas quando nos deixamos persuadir pelos apelos do Espírito Santo em nosso coração, a santificação começa a fluir. Não há atalhos para a santificação, portanto, mãos à obra!

O texto todo traz uma revelação, uma instrução e o resultado da prática delas.  A Revelação: Os eficazmente alcançados já receberam o que necessitam. Pelo seu divino poder o Senhor já nos concedeu todas as coisas que nos conduzem a vida e a piedade. Como entender essa afirmação? Somos capacitados pela ação do Espírito a praticar aquilo que a Bíblia ordena, mesmo quando achamos que pelo nosso temperamento não conseguiremos. O Senhor nos chamou para a sua própria glória e virtude e alcançamos isso pelo conhecimento experiencial de Deus, não pela religiosidade de fachada. Por isso, ponha a Palavra à prova e não resista à voz do Espírito Santo quando ele o persuade e constrange a obedecer ao que Deus determina. A capacitação recebida de Deus não diz respeito só às coisas práticas da vida, mas também à piedade (as coisas espirituais) a um viver de modo digno da vocação para a qual fomos chamados!  

A Instrução: A Prática da Palavra de Deus leva a uma vida de santidade e confirma tanto a eleição quanto a vocação. Aqui o apóstolo Pedro torna-se extremamente prático em sua instrução. Para que nos tornemos coparticipantes da natureza divina precisamos primeiro nos esforçar para fazer as seguintes associações: A fé com a virtude (bondade moral, que Paulo chama de benignidade); a virtude com o conhecimento; o conhecimento com o domínio próprio; o domínio próprio com a perseverança; a perseverança com a piedade (compaixão); a piedade com a fraternidade (comunhão) e a fraternidade com o amor que é o fim e auge do crescimento espiritual. Precisamos procurar nos esforçar diligentemente (com muito empenho) para confirmar a nossa vocação e eleição. De que modo? O testemunho pessoal do crente é mais eloqüente que qualquer sermão, por mais bem elaborado que ele seja. Para que esse testemunho aconteça precisamos nos esforçar para seguir os comandos do Espírito Santo dentro de nós, se é que o temos. A vocação para a santidade e a eleição como participantes da família de Deus são confirmadas pelo nosso testemunho pessoal.

Resultados da revelação e da prática da instrução recebida: Uma vida frutífera e sem tropeço.  Passamos a nos tornar ativos na obra de Deus e frutíferos no conhecimento de Jesus Cristo à medida que a prática dessas instruções vai aumentando em nós. Os que se tornam praticantes da Palavra não tropeçam em tempo algum (isto não significa impecabilidade, mas uma vida de testemunho). O Senhor nos revela através do apóstolo Pedro que tudo o que precisamos para a vida prática e para a vida espiritual, já nos foi doado, são as suas grandes e mui preciosas promessas para nós. É como se fosse depositado numa conta aberta por Deus para nós nas regiões celestes, tudo o que precisamos depois da salvação. É só nos habilitar através da obediência (que é a nossa senha) para sacar o que já é nosso. Nadia Malta  http://ocolodopai.blogspot.com.br/

sexta-feira, 18 de maio de 2018

Meditação/Nadia Malta/EM CRISTO TEMOS TUDO, ESTAMOS SUPRIDOS!


EM CRISTO TEMOS TUDO, ESTAMOS SUPRIDOS!

Ele falou bondosamente com ele e deu-lhe um assento de honra mais elevado do que os dos outros reis que estavam com ele na Babilônia. Desse modo Joaquim tirou as roupas da prisão e pelo resto da vida comeu à mesa do rei. Dia após dia o rei da Babilônia deu a Joaquim uma pensão diária enquanto ele viveu, até o dia de sua morte”. Jeremias 52:32-34                                                      

O texto lido encerra o livro profético de Jeremias com uma nota visível da graça de Deus.  Historicamente trata da restauração do rei Joaquim de Judá, sua libertação do cativeiro e o seu restabelecimento em honra. O rei Evil-Merodaque foi o sucessor de Nabucodonosor e em seu curto reinado de dois anos, foi o instrumento usado por Deus para essa restauração. Ele não está na lista daqueles que são chamados de tipos de Cristo, embora, possamos enxergar aqui em sua ação graciosa para com o rei Joaquim algo que tipifica o que Cristo fez aos seus escolhidos. Uma das coisas que mais chama a atenção na Santa Palavra de Deus é a sua preocupação em sinalizar quanto ao seu propósito de salvar o homem. O Senhor faz isso de Gênesis a Apocalipse.

É comum ouvirmos irmãozinhos dizerem: “Deus tem um plano para sua vida!”. No entanto, esta afirmação tem sido tão banalizada e quem a ouve acaba achando que ela nada mais é que jargão de crente. Afinal, todo crente diz isso! Ainda assim, mesmo correndo o risco de acharem que estou falando um “crentês” arcaico e que estou usando um velho e surrado clichê, gostaria de fazer essa já tão usada afirmação: “Deus tem um plano glorioso para cada um dos seus escolhidos!”. E nesse plano inclui: libertação do império das trevas, perdão de pecados, regeneração do velho espírito morto, restauração da comunhão com Deus, livramento da morte eterna, vida nova e abundante, nova oportunidade de recomeçar. A isto chamamos de salvação, essa obra é completa e abrangente. Tudo se faz novo! Em Cristo já temos tudo, estamos supridos! Tudo isso nos é concedido pela graça mediante a fé em Cristo Jesus, não por obras para que ninguém se glorie.

O texto aponta algumas ações da graça de Deus em relação aos seus escolhidos que nos levam a compreender pelo menos um pouco da abrangência da obra salvífica. Libertação do Cárcere. Intimidade e Honraria. Comunhão e Nova Roupagem. Suprimento Perene! Joaquim foi libertado do cativeiro, Deus lembrou-se do seu escolhido. Ele continua se lembrando dos seus escolhidos que ainda estão aprisionados e a libertação virá para todos. O apóstolo Paulo falando aos colossenses nos diz que fomos transportados do reino das trevas e levados para o Reino do Filho do amor de Deus, Jesus. O escrito da dívida que era contra nós foi rasgado, estamos livres da condenação eterna. Jesus nosso Cordeiro pascal foi imolado para que nós tivéssemos vida e vida em abundancia. As bênçãos não param por aí!

O Senhor nos honra e prepara uma mesa para nós na presença dos nossos adversários, faz o nosso cálice transbordar. Passamos a gozar da intimidade com o Senhor, nós que estávamos separados dele por nossas obras malignas agora desfrutamos de sua presença gloriosa. E o mais encantador na obra da salvação é que toda iniciativa é de Deus, não do homem. Alem da comunhão com o Senhor recebemos uma nova roupagem, estamos cobertos pelo sangue de Jesus derramado em nosso favor na cruz do Calvário. Estamos cobertos pela justificação em Cristo Jesus. Participamos da mesa com o Senhor, nos alimentamos nele e de sua Santa Palavra. Comemos a sua carne e bebemos o seu sangue. Somos fortalecidos, firmados e fundamentados em Cristo, a nossa Rocha eterna. O Senhor providencia para nós provisão espiritual, emocional e física. O Senhor diz através do profeta Joel: "Vou compensá-los pelos anos de colheitas que os gafanhotos destruíram: o gafanhoto peregrino, o gafanhoto devastador, o gafanhoto devorador e o gafanhoto cortador, o meu grande exército que enviei contra vocês”. Há uma provisão e uma prosperidade preparada para os escolhidos de Deus. A verdadeira e real prosperidade é espiritual e repercute emocional, física e até materialmente, através dos recursos que ele possa colocar em nossas mãos, para que o evangelho chegue aos confins da terra e glorificar o nome do Senhor. Aqueles que têm ouvidos para ouvir ouvirão e entenderão esta palavra e serão habilitados a desfrutar de todas essas bênçãos descritas aqui em nome de Jesus. Nadia Malta  http://ocolodopai.blogspot.com.br/

Você poderá gostar também de...

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...