quinta-feira, 21 de junho de 2018

Meditação/Nadia Malta/EXPULSANDO OS GIGANTES QUE IMPEDEM NOSSAS VITÓRIAS!

EXPULSANDO OS GIGANTES QUE IMPEDEM NOSSAS VITÓRIAS! 

Vejam, o Senhor, o seu Deus, põe diante de vocês esta terra. Entrem na terra e tomem posse dela, conforme o Senhor, o Deus dos seus antepassados, lhes disse. Não tenham medo nem se desanimem. Vocês, contudo, não quiseram ir, e se rebelaram contra a ordem do Senhor, o seu Deus. Queixaram-se em suas tendas, dizendo: "O Senhor nos odeia; por isso nos trouxe do Egito para nos entregar nas mãos dos amorreus e destruir-nos. Para onde iremos? Nossos compatriotas nos desanimaram quando disseram: O povo é mais forte e mais alto do que nós; as cidades são grandes, com muros que vão até o céu. Vimos ali os enaquins". Deuteronômio 1:21, 26-28.                                                                                                   

Precisamos nos encorajar mutuamente como povo de Deus a ter ousadia e conquistar a nossa vitória lutando por aquilo que já nos foi dado pelo Senhor. O texto lido está em um contexto maior vai do versículo 1 ao 30 e mostra o relatório negativo dos espias, que além de difamar a Deus, contaminou a nação inteira. Por causa da rebelião e da incredulidade do povo, um percurso que deveria ter sido feito em 13 dias durou 40 anos. Promessa de Deus não significa ausência de luta. A terra foi prometida, mas precisava ser conquistada. Os acontecimentos do passado apontam para o futuro e nos ensinam lições preciosas. Assim como foi com Israel dos dias passados, acontece hoje. Bênçãos ordenadas têm sido postergadas por causa da nossa postura preguiçosa, rebelde, murmuradora e medrosa. A visão de gafanhotos nos faz ver tudo à nossa volta como gigantes. Esses gigantes precisam ser banidos de nossa vida para que as nossas bênçãos desçam sobre nós. A Bíblia nos afirma em II Pedro 1.3: “Seu divino poder nos deu todas as coisas de que necessitamos para a vida e para a piedade, por meio do pleno conhecimento daquele que nos chamou para a sua própria glória e virtude”. Por que não desfrutamos da plenitude dessas coisas que conduzem à vida e a piedade? Porque tem nos faltado conhecimento e é exatamente ai que o adversário alcança vantagem sobre nós.

Há quatro gigantes que precisam ser expulsos da nossa vida. Quais são eles? A Preguiça. A Falta de disposição para a luta já nos faz derrotados. O povo não quis subir à terra; não tinha disposição para isso. Tem muito crente preguiçoso, “indisposto” para lutar por sua bênção. A Terra havia sido prometida; o Senhor havia dado a posse de toda aquela região, mas havia ali gigantes que deveriam ser vencidos e expulsos. A Terra precisava ser conquistada. As portas que dão acesso as nossas bênçãos não se abrem automaticamente. Tem sempre uma placa puxe e empurre. Isso demanda sempre uma atitude, um esforço de nossa parte. A preguiça é esperta e quando ela vê que está perdendo terreno, se disfarça em piedade. É comum ouvirmos no meio de irmãos que não trabalham nem estudam, vivem numa eterna estagnação: “O que Deus tem pra mim ele vai colocar em minhas mãos!”. Esta é a oração típica do preguiçoso.

Certo pensador cristão disse: “Devemos trabalhar como se tudo dependesse de nós e orar sempre e fervorosamente como se tudo dependesse de Deus”. A Rebeldia. Todo espírito de rebelião é demoníaco e precisa ser banido da nossa vida. Você se reconhece um rebelde e tem andado na contra mão da vontade de Deus em alguma área de sua vida? Descubra a fortaleza da rebelião em sua vida e destrua-a. A Murmuração. Murmurar é cantar vitória para o adversário. Precisamos aprender a louvar e agradecer. É sempre oportuno voltarmos a esse assunto. Murmuração tem destruído a vida de muitos em nosso meio.  O Medo. Os que temem permanecem estagnados não chegarão a lugar nenhum. O Israel indisposto, rebelde e murmurador também teve medo. Por causa disso toda uma geração de murmuradores medrosos pereceu no deserto. Medo é derrota antecipada. O que Deus prometeu, ele fará!

Agora preste atenção aqui: Deus nunca nos ordena fazer algo ilegal. Ousadia no Espírito não é irresponsabilidade. Servo de Deus não anda na ilegalidade. Cuidado com os cheques pré-datados (sem fundos), com o uso indiscriminado do cartão de crédito sem uma renda, cuidado com os cheques especiais e com os agiotas. Você pode argumentar: mas todo o mundo faz isso, não o servo de Deus que anda em fidelidade. Portanto, não faça débito para Deus pagar. Muitos têm lançado mão desses recursos dizendo ser direção de Deus. Isso não é verdade! Então dê um basta a tudo isso hoje. Derrube em nome de Jesus Cristo as fortalezas da Preguiça, da Rebeldia, da Murmuração e do Medo da sua vida. Nadia Malta. http://ocolodopai.blogspot.com.br/

quarta-feira, 20 de junho de 2018

Meditação/Nadia Malta/PRONTOS PARA GUERREAR! ESTAMOS?


PRONTOS PARA GUERREAR! ESTAMOS?

Quanto ao mais, sede fortalecidos no Senhor e na força do seu poder. Revesti-vos de toda a armadura de Deus, para poderdes ficar firmes contra as ciladas do diabo; porque a nossa luta não é contra o sangue e a carne, e sim contra os principados e potestades, contra os dominadores deste mundo tenebroso, contra as forças espirituais do mal, nas regiões celestes”. Ef 6.10-12.                                                        

Despertemos e nos preparemos tanto individualmente quanto como igreja para o combate espiritual no qual já estamos engajados. O texto lido na verdade vai até o versículo 18. Aqui o apóstolo Paulo apresenta ao cristão a sua roupa e equipamentos de combate. Precisamos despertar espiritualmente no sentido de compreendermos que fomos arregimentados, como bons soldados de Cristo, não para um combate puramente físico, mas contra as forças espirituais do mal no mundo invisível. Como cristãos, enfrentamos três tipos de inimigos: o mundo, o diabo e a carne. O mundo é o sistema à nossa volta, a sociedade sem Deus. A carne é a velha natureza pecaminosa, herdada de Adão e o diabo é o velho homicida, ladrão, destruidor, mentiroso, acusador e adversário, líder de legiões de anjos caídos. Essas três frentes inimigas trabalham em conjunto e se opõem unidas a Deus e ao seu povo.  É a trindade maligna. Como cristãos, não estamos lutando para conquistar a vitória, mas em vitória, porque estamos do lado do Vencedor. Jesus é o Forte dos Fortes, o Valente dos Valentes. O Senhor dos Senhores, o Rei dos Reis!

O Espírito Santo nos capacita para que nos apropriemos pela fé, da vitória em Cristo. O povo de Deus precisa agir em unidade. A Unidade de Inteligência Militar desempenha papel crucial em uma guerra. Essa Força tarefa permite que os oficiais conheçam e compreendam as ações táticas  e estratégias do adversário.  A Igreja é essa Força Tarefa. Se negligenciarmos isso, subestimando a capacidade e o poder destrutivo do nosso inimigo, seremos esmagadoramente derrotados. Não estamos lutando contra seres humanos, mas contra seres espirituais demoníacos, cujo único propósito é destruir a obra e o povo de Deus. Esses seres estão sob o comando de satanás. A igreja precisa estar alerta às suas astutas ciladas. O que o cristão precisa para sair vitorioso dessa guerra? Fortalecer-se no Senhor e na força do seu poder; Revestir-se de toda Armadura de Deus; Entender que estamos lutando contra um inimigo astuto; Perceber que a nossa luta não é física, mas espiritual. Precisamos nos fortalecer da força que o Senhor supre.

Esse fortalecimento passa pelo arrependimento e confissão de pecados. Reconhecer-nos profundamente dependentes de Deus e nos humilhar na sua presença. A armadura de Deus com suas diversas peças, não é algo místico, usado como se fosse um amuleto. Essa Armadura deve ser plasmada em nós, através da profunda convicção daquilo que somos e temos em Cristo Jesus. As admoestações de Paulo indicam que o adversário é astuto e nos arma ciladas. Não devemos subestimar o seu poder e capacidade de persistência, ele não desiste nunca, apenas muda de estratégia. A nossa luta não é contra seres humanos, mas contra os exércitos de espíritos do mal que nos desafiam no mundo invisível. O apóstolo apresenta a roupa de guerra: O Cinto da Verdade. O cinto mantinha unidas as outras peças da armadura. A Verdade é o elemento de integração na vida do cristão vitorioso. Como cristãos somos seguidores da Verdade, que é o próprio Cristo.

A Couraça da justiça. Simboliza a justificação em Cristo Jesus. As Sandálias do Evangelho da paz. Os nossos pés precisam estar firmados sobre o Evangelho e a Paz de Cristo para não nos resvalar os pés. Essas sandálias também apontam para a prontidão em anunciar o Cristo. O Escudo da Fé. A fé viva nos move a andar e agir em unidade. Quando os cristãos se unem, a derrota do adversário é certa. Os escudos dos soldados romanos tinham um formato que permitia que eles encaixassem um escudo no outro e marchavam em unidade contra o adversário.  O Capacete da Salvação. Refere-se à mente controlada por Deus. Em nossa mente se travam as mais mortais batalhas. Precisamos protegê-la com a certeza da salvação. A Espada do Espírito. Essa Espada é a Palavra de Deus. É a arma ofensiva que Deus nos dá. Quanto mais conhecemos a Palavra de Deus, mais fácil fica detectar as mentiras do inimigo. Finalmente, A postura de Guerra: oração e vigilância. Que o Senhor nos ajude a ser bons combatentes! Despertemos estamos em guerra! Nadia Malta. http://ocolodopai.blogspot.com.br/

terça-feira, 19 de junho de 2018

Meditação/Nadia Malta/BUSCANDO CONTINUAMENTE A PROTEÇÃO DE DEUS!


BUSCANDO CONTINUAMENTE A PROTEÇÃO DE DEUS!

Ouve-me, ó Deus, quando faço a minha queixa; protege a minha vida do inimigo ameaçador. Defende-me da conspiração dos ímpios e da ruidosa multidão de malfeitores”. Salmos 64:1,2.                                                                    

Não nos deixemos abater diante dos embates da vida, antes estimulemo-nos uns aos outros a buscar continuamente a proteção de Deus contra as investidas dos nossos inimigos. Percorramos outra vez a trilha do livro dos salmos, essa grande escola de oração. Este salmo 64 é de autoria de Davi e foi escrito quando ele servia ainda no reinado de Saul, embora já houvesse sido ungido rei de Israel, mas não ainda coroado. Davi percebia a conspiração e o ódio no coração de Saul e também por parte de seus oficiais. É incrível o ódio que os ímpios sentem gratuitamente pelos servos do Senhor. Este salmo tem como idéia central a luta ininterrupta que enfrentamos contra as hostes espirituais do mal, que se levantam contra nós, muitas vezes usando os de nossa própria casa.

Nesses dias, as lutas têm se intensificado de uma maneira tal, que o propósito é causar perplexidade como disse o salmista em seu cântico de guerra. Não estamos falando apenas da luta que a igreja tem enfrentado como um todo, mas das lutas individuais e das várias frentes de batalha que os amados de Deus têm experimentado. Como disse o apóstolo Paulo: “São lutas por fora e temores por dentro”. Contudo, o Senhor é aquele que não nos deixa órfãos, nem permite que o nosso barco fique à deriva. Jesus é o grande timoneiro da nossa embarcação e com ele no barco tudo vai muito bem. Chegaremos ao Destino! Estamos vivendo um tempo de grandes assolações. A própria natureza tem gemido ansiando por redenção. Famílias têm se desintegrado; o injusto se levanta contra o justo; há enfermidade, medo e clamor por toda a parte; a ética e a moral têm sido relegadas a ultimo plano. Todas essas coisas são sinais da Segunda vinda de Cristo.

O Senhor em sua infinita misericórdia e soberania tem conclamado seus filhos ao combate de oração em unidade e santificação obediente, para que possamos prevalecer. Unidos somos indestrutíveis, por isso o inimigo faz tanto esforço para quebrar a unidade do corpo de Cristo. Há uma guerra espiritual a ser vencida e as armas dessa guerra são espirituais! O que fazer diante das batalhas da vida? A oração de guerra do salmista nos conclama a quatro ações efetivas: Buscar a proteção do Senhor; Pedir sabedoria do Senhor quanto aos intentos do inimigo; Confiar no Senhor e Dar glória a Deus. Todos os que procuram viver piedosamente, sofrerão perseguições. Isto é fato. Nós não estamos num parque de diversões, mas numa arena de guerra. O nosso inimigo é astuto e fará de tudo para nos abater. Oração e vigilância são as palavras de ordem! Há situações que só o Senhor pode interferir por isso o salmista clama para que seja livrado da conspiração do adversário.

Precisamos ajustar o nosso “desconfiômetro” espiritual, buscar o discernimento. Sem perder de vista que a nossa verdadeira luta não é contra carne e sangue, mas contra seres espirituais do mal nas regiões celestes. Precisamos estar prontos para guerrear. Por depender do Senhor e obedecer às suas instruções, Davi estava certo de que Deus derrotaria seus inimigos. Assim como o Senhor se manifestou na vida de Davi, se manifesta na vida daqueles que confiam e dependem dele. Precisamos declarar isso continuamente: “Senhor eu confio em Ti!”. Os feitos de Deus em defesa dos seus filhos são tão tremendos, que fazem as pessoas menearem a cabeça num gesto de incredulidade. A fé espera sempre ver Deus fazer o impossível. Quando os juízos de Deus se manifestam na terra, os moradores do mundo aprendem justiça. Tudo que temos, recebemos e somos vem do Senhor e a ele toda honra, toda glória e toda a adoração pelos séculos dos séculos, amém! Nadia Malta. http://ocolodopai.blogspot.com.br/


Você poderá gostar também de...

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...