segunda-feira, 16 de outubro de 2017

Meditação/Nadia Malta/NECESSITAMOS DE UMA REFORMA INTERNA!

NECESSITAMOS DE UMA REFORMA INTERNA!

Ele saiu para encontrar-se com Asa e lhe disse: "Escutem-me, Asa e todo o povo de Judá e de Benjamim. O Senhor está com vocês quando vocês estão com ele. Se o buscarem, ele deixará que o encontrem, mas, se o abandonarem, ele os abandonará. Durante muito tempo Israel esteve sem o verdadeiro Deus, sem sacerdote para ensiná-lo e sem a Lei. Mas em sua angústia eles se voltaram para o Senhor, o Deus de Israel; buscaram-no, e ele deixou que o encontrassem”. 2 Crônicas 15.2-4.

                                                                                                


Neste mês comemoramos os 500 anos da Reforma Protestante. É um tempo de reflexão profunda sobre a fé e o relacionamento íntimo com o Deus Vivo. O que foi que mudou? O que foi que alcançamos durante esses cinco séculos? Deparei-me hoje com esse texto que se reporta ao relato da reforma religiosa feita pelo rei Asa. Esse rei fez o que era bom diante do Senhor! Busquemos a santificação sem a qual não veremos a Deus. John Wesley disse: “A conversão tira o homem do mundo; a santificação tira o mundo do homem”. Não existe a primeira sem a segunda. Elas andam em unidade! Se não há santificação nunca houve conversão de fato!

Vivemos dias de grandes apostasias. Nega-se a fé por tudo e por nada. Muitos que foram criados nos caminhos do Senhor têm abandonado a sua fé e se voltado para outros “deuses”, que não têm necessariamente forma visível ou sequer são feitos de pedra e cal. Contudo, estão lá entronizados nos corações que antes tinham o Senhor no centro! Creio firmemente que estamos todos em um grau maior ou menor necessitados de uma reforma interna! Temo que para isto seja necessária uma grande perseguição! Parece que só se busca ao Senhor em meio às grandes aflições.

Lendo o relato da reforma do rei Asa encontramos aqui algumas coisas que chamaram a nossa atenção. O profeta Azarias trouxe uma palavra da parte de Deus para o rei e seu povo. O povo havia abandonado o seu Deus e ele por meio do profeta diz: "Escutem-me, Asa e todo o povo de Judá e de Benjamim. O Senhor está com vocês quando vocês estão com ele. Se o buscarem, ele deixará que o encontrem, mas, se o abandonarem, ele os abandonará”. Não seria isto que tem acontecido com muitos em nosso meio? O Senhor diz por meio do profeta Jeremias: “Buscar-me-eis e me achareis quando me buscardes de todo o vosso coração serei achado de vós”. Aqui está o grande segredo: a sinceridade de coração nessa busca. As orações maquinais e estereotipadas não chegam ao Trono, nem convencem o Senhor.

Em sua reforma o Rei depôs até a rainha mãe por ter se voltado para outros deuses. Por que não agimos à semelhança de Asa: Recobrando o ânimo, destruindo e lançando fora as abominações que às ocultas entronizamos em nossos corações, renovando a aliança com o Senhor reerguendo o seu o altar? Talvez essa seja a reforma mais eficaz que precisamos fazer em caráter de urgência! As mudanças externas são meras maquiagens religiosas. Que possamos fazer como Josué, e tomar uma posição radical: “Se, porém, não lhes agrada servir ao Senhor, escolham hoje a quem irão servir, se aos deuses que os seus antepassados serviram além do Eufrates, ou aos deuses dos amorreus, em cuja terra vocês estão vivendo. Mas, eu e a minha família serviremos ao Senhor". Nunca foi tão necessário esse posicionamento. Sirvamos em santificação e honra! Quer vivamos, quer morramos somos do Senhor! Nadia Malta. http://ocolodopai.blogspot.com.br/


domingo, 15 de outubro de 2017

Meditação/Nadia Malta/APEGUEMO-NOS A BENDITA ESPERANÇA!

APEGUEMO-NOS A BENDITA ESPERANÇA!

                                                                                             

Apeguemo-nos com firmeza à esperança que professamos, pois aquele que prometeu é fiel”. Hebreus 10.23.
                                                                                             


O contexto todo aqui fala do privilegio e da responsabilidade que os cristãos têm de poderem entrar no Santo dos Santos. Esse acesso à presença de Deus foi conquistado pelo sacrifício do Cristo. O sacrifício único e perfeito do Cordeiro de Deus sem defeito e sem mácula nos facultou esse privilegio. O véu do santuário foi rasgado e agora podemos adentrar ali. E à esse respeito o autor desta epístola diz: “Portanto, irmãos, temos plena confiança para entrar no Santo dos Santos pelo sangue de Jesus, por um novo e vivo caminho que ele nos abriu por meio do véu, isto é, do seu corpo”.

Podemos nos alegrar nessa bendita Esperança que é o próprio Cristo redivivo.  E tudo que ele nos prometeu cumprirá! Ele é Fiel e é tudo em todos! No meio das nossas lutas que não são poucas tendemos ao desânimo. A cada dia somos surpreendidos com situações que nos tiram o chão e o fôlego. Nesses momentos mais que em qualquer outro precisamos manter viva a Esperança e mais que isso, nos apegar com confiança a ela. O Senhor é aquele que nos sustenta com a sua mão direita fiel. Há momentos em que baqueamos? Muitos, sem dúvida, mas precisamente nesses momentos podemos ver a mão do Senhor conduzindo todas as coisas!

Na verdade, aquilo que imaginávamos que não iríamos suportar e eis que somos surpreendidos com uma força que desconhecíamos até então. Aqui somos instados a nos apegar com firmeza à Esperança que professamos, pois Aquele que fez a promessa é fiel para cumpri-la. Ele não prometeu dias fáceis, prometeu mais que isso: Garantiu a sua presença até a consumação dos séculos. Assim, não atravessaremos os vales sombrios que tanto tememos sozinhos. Ele passará conosco! O que mais podemos querer? A sua vara e o seu cajado nos consolarão!

Gosto demais da palavra Esperança. Sou encorajada por ela a seguir, especialmente por saber que para nós, Esperança é mais que uma simples expectação positiva ou uma bela idéia teológica, mas uma pessoa chamada Cristo Jesus! Enquanto deste lado da eternidade, estamos sujeitos a muitos estreitos e desertos abrasadores, mas sigamos firmes na Bendita Esperança que professamos! Adentremos no Santo dos Santos em plena confiança e ali pleiteemos as nossas causas diante Daquele que tem Todo o Poder! Ele é gracioso e compassivo e ouve o clamor do seu povo! Nadia Malta. http://ocolodopai.blogspot.com.br/

sábado, 14 de outubro de 2017

Meditação/Nadia Malta/NÃO AMEMOS O MUNDO... ELE PASSA!

NÃO AMEMOS O MUNDO... ELE PASSA!

Não amem o mundo nem o que nele há. Se alguém amar o mundo, o amor do Pai não está nele. Pois tudo o que há no mundo — a cobiça da carne, a cobiça dos olhos e a ostentação dos bens — não provém do Pai, mas do mundo. O mundo e a sua cobiça passam, mas aquele que faz a vontade de Deus permanece para sempre”. 1 João 2.15-17.

                                                                                            


Dizer que Jesus está voltando é dizer o óbvio, pois todo aquele que tem minimamente familiaridade com a palavra de Deus percebe isto. Os sinais estão todos à nossa frente para testificar dessas coisas. Vivemos inegavelmente dias escatológicos. São muitos os sinais: Guerras, rumores de guerras, fome, pestes as mais estranhas e letais, a inversão de valores, a violência exacerbada, o amor que tem não só esfriado, mas congelado nos corações. Há ainda as muitas catástrofes naturais que tem matado a muitos sem falar na perseguição cada vez mais intensa aos fieis. Essa pequena lista é só para não perder de vista o que a Bíblia tem falado à respeito do assunto!

O apóstolo João aqui chama a atenção dos seus leitores para a ação do mundo como um dos inimigos de Deus e do seu povo. Na verdade são três os inimigos de Deus: O mundo, o Diabo e a Carne. Eles trabalham em unidade, como uma trindade maligna. A Carne clama pelo pecado, o Mundo oferece-lhe as possibilidades e o Diabo estimula, sobretudo, com os velhos jargões: “Não tem nada demais” ou "isso é normal todo mundo faz"! Cabe a nós estarmos atentos e em oração constante para não cair no laço do adversário! Não podemos perder de vista: Estamos no mundo, mas não pertencemos a ele!

Nos versículos citados João alerta seus leitores quanto à necessidade de rejeitar aquilo que o mundo tão avidamente oferece. Ele diz: “Pois tudo o que há no mundo — a cobiça da carne, a cobiça dos olhos e a ostentação dos bens — não provém do Pai, mas do mundo”. Essas três frentes mencionadas são terríveis. Primeiro a cobiça da carne. Esses desejos malignos da velha natureza que insistem em prevalecer. Jesus quanto a isto diz: “Se o teu olho te faz pecar, arranca-o de ti, melhor que entres no reino cego do que tendo os dois olhos todo o teu corpo vá para o inferno”. Do mesmo modo ele alerta quanto às mãos e os pés quando querem nos fazer pecar fazendo coisas que o desagradam ou indo em direção contrária à sua vontade. Nem tudo convém ao Povo da Cruz!

Em seguida vem a Cobiça dos olhos e a ostentação dos bens. Esses dois últimos andam juntos e fazem uma dobradinha e tanto. Sobretudo, em um tempo em que o Ter tem se sobreposto ao Ser. Tudo tem sido tão bem orquestrado que estamos expostos aos tentáculos malignos que de todos os modos tentam nos tragar. Aqui vigilância e oração são palavras de ordem! O grande desafio é não amar o mundo e suas ofertas malignas. Vigiemos! Nadia Malta. http://ocolodopai.blogspot.com.br/

Você poderá gostar também de...

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...