domingo, 22 de abril de 2018

Meditação/Nadia Malta/SIM, A PORTA CONTINUA ESTREITA!


SIM, A PORTA CONTINUA ESTREITA!

Entrem pela porta estreita, pois larga é a porta e amplo o caminho que leva à perdição, e são muitos os que entram por ela. Como é estreita a porta, e apertado o caminho que leva à vida! São poucos os que a encontram". Mateus 7:13,14.
                                                                                              

O Caminho para o céu não é uma estrada de fácil trânsito, muito pelo contrario. E aqui o Senhor nos traz a ilustração dos dois caminhos aquele que leva ao mundo, à perdição, que é amplo com sua porta de acesso larga permitindo que muitos entrem por ela. Esse caminho faz um contraste com aquele apertado com sua porta estreita que leva à Vida! Muitos passam com facilidade e desenvoltura pelo primeiro, quanto ao segundo, são poucos os que conseguem transitar por ele completando a jornada. Parando para meditar sobre essa ilustração do nosso mestre vem algo em minha mente: Em tempos de transigências e de corrupções cada vez mais sofisticadas, muitos têm tentado aplicar essas ações para facilitar seu trânsito pelo Caminho apertado! Quão tolos esses são! De nada adianta adaptar rolimãs aos pés para apressar a jornada.  O único calçado aceitável aqui é a sandália da preparação do evangelho da paz! O Senhor é aquele que vê mentes, sonda e perscruta corações e isso para dar a cada um segundo as suas obras. De Deus não se zomba!

A sinalização de cada caminho obedece a legislações diferentes. Para transitar pelo caminho amplo que dá acesso a porta larga e que por sua vez conduz à perdição, o que conta é o maior número possível de transeuntes. Esses podem transitar ao seu bel prazer. Aqui a regra é não ter regra! Aqui vale tudo, Tudo é permitido! Já o caminho apertado que leva à Porta estreita e conduz à Vida é bem sinalizado e o transeunte precisa estar atento. A rota traçada aqui é 66 que são os livros das Sagradas Escrituras! São muitas as placas, dentre elas: Não Tema! Cuidado! Vigie! Ore! Não fique ansioso! Aquiete-se! Espere! Confie! Descanse! A estrada aqui é íngreme e cheia de curvas. Aqui e acolá somos surpreendidos com vales áridos e desertos abrasadores. Os cenários aqui mudam a toda hora. Pela misericórdia, o Senhor nos surpreende com momentos de oásis para que sejamos refrigerados, dessedentados e prossigamos.

Não trafegamos sozinhos por esse caminho apertado. O nosso Guia é experiente e vai adiante de nós. Embora, muitas vezes não sintamos a sua presença, ele está lá o tempo todo. Na verdade ele é tanto o Caminho, quanto o Guia e o Destino! Tudo que precisamos é confiar e estar atentos para não tropeçar durante a jornada. Precisamos combater o bom combate, completar a carreira e guardar a fé, como tão bem colocou o apóstolo Paulo! O caminheiros da Vida tem um alvo, ele sabe que o que importa na verdade é a alegria da chegada. Ao atravessar a Porta ele achará descanso perene! Cada obstáculo enfrentado e superado durante a jornada o aproxima do Destino eterno que o aguarda!

Outro dia vi uma ilustração interessante que dizia: A Porta continua estreita, não passou por nenhuma reforma! Grande verdade, embora muitos embusteiros tentem fazer que multidões acreditem no contrário! A Porta estreita tem o formato de uma cruz! Não se passa aqui levando velhas bagagens. À medida que percorremos essa estrada vamos largando aquilo que fazia parte da velha caminhada. Desembaraçar os pés de todo peso e do pecado que tenazmente nos assedia é preciso para que consigamos andar com desenvoltura e chegar ao Destino! Estamos indo na força que o Senhor supre! Chegaremos em casa! Nadia Malta  http://ocolodopai.blogspot.com.br/

sábado, 21 de abril de 2018

Meditação/Nadia Malta/AFINAL, DE TODOS OS MANDAMENTOS QUAL O MAIS IMPORTANTE?


AFINAL, DE TODOS OS MANDAMENTOS QUAL O MAIS IMPORTANTE?

Um dos mestres da lei aproximou-se e os ouviu discutindo. Notando que Jesus lhes dera uma boa resposta, perguntou-lhe: "De todos os mandamentos, qual é o mais importante”? Respondeu Jesus: "O mais importante é este: ‘Ouve, ó Israel, o Senhor, o nosso Deus, o Senhor é o único Senhor. Ame o Senhor, o seu Deus de todo o seu coração, de toda a sua alma, de todo o seu entendimento e de todas as suas forças’. O segundo é este: ‘Ame o seu próximo como a si mesmo’. “Não existe mandamento maior do que estes”. Marcos 12:28-31.
                                                                                            

Inúmeras vezes, Jesus se viu às voltas com perguntas como esta, feita por aquele mestre da lei que o abordou. Aquele homem havia presenciado a maneira sábia como Jesus respondera aos saduceus que não acreditavam existir ressurreição. Os saduceus faziam parte de uma facção aristocrática do judaísmo que lia e considerava apenas o Pentateuco que eram os escritos de Moisés. Eles não criam nem na ressurreição, nem nos anjos. Eles vieram a Jesus fazendo uma menção à lei do “levirato” que permitia a um irmão se casar com a viúva de outro irmão falecido, para suscitar descendência ao que morrera. E eles trazem uma situação em que sete irmãos desposaram uma mesma mulher, sem, contudo, deixar filhos. Ao final todos morreram inclusive a mulher. Eles queriam saber de quem ela seria esposa no dia da ressurreição, visto ter se casado com os sete irmãos. “Jesus respondeu: "Vocês estão enganados! Pois não conhecem as Escrituras nem o poder de Deus! Quando os mortos ressuscitam, não se casam nem são dados em casamento, mas são como os anjos nos céus”. Em outra versão diz: Errais não conhecendo as Escrituras nem o poder de Deus”! Esse mesmo erro não continua acontecendo hoje?

O mestre da Lei ouvindo o arrazoado de Jesus faz a pergunta que dá título a esta meditação: “De todos os mandamentos, qual é o mais importante”?  Jesus assegura que o mais importante dos mandamentos é Amar! Primeiro devemos amar ao Senhor. Diz Jesus: Ame o Senhor, o seu Deus de todo o seu coração, de toda a sua alma, de todo o seu entendimento e de todas as suas forças”. Em segundo lugar devemos amar ao próximo como amamos a nós mesmos. Olha o parâmetro aqui! Na seqüência o Senhor diz: “Ame o seu próximo como a si mesmo”. Será que temos amado ao próximo obedecendo a esse paradigma? Desconfio que não!

Assim, amar ao Senhor de toda a nossa alma, de toda a nossa força e de todo o nosso entendimento, sendo ele para nós o nosso único Deus e Senhor, nos prepara para amar a nós mesmos sem uma visão egoísta, mas na perspectiva daquilo que recebemos de Deus. E só, então, poderemos amar aos outros tendo como modelo o amor que temos por nós mesmos. Ninguém maltrata a sua própria carne! Quem traz essa explicação é Jesus, o próprio Amor encarnado! Vivemos um tempo em que o amor por Deus tem esfriado dos corações e conseqüentemente, o amor de cada um por si mesmo e pelo próximo!

O apóstolo João, também chamado de apóstolo do amor traz mais luz à questão ao afirmar: Quem não ama não conhece a Deus, porque Deus é amor. Assim conhecemos o amor que Deus tem por nós e confiamos nesse amor. Deus é amor. Todo aquele que permanece no amor permanece em Deus, e Deus nele (I João 4.8,16). Amar para o filho de Deus é credencial, insígnia dessa filiação. Os que permanecem nesse Amor, não só amam, mas têm uma vida de testemunho. Amar é o maior dos mandamentos! É o Centro de tudo!  O Amor encabeça a lista tanto de dons quanto do Fruto do Espírito, pois dele emanam todos os demais dons. O Amor é uma pessoa chamada Cristo! Assim, de todos os mandamentos, qual o mais importante? Amar! Pois é o próprio Amor, com letra maiúscula quem ordena! Amamos porque Ele nos amou primeiro! Nadia Malta  http://ocolodopai.blogspot.com.br/


sexta-feira, 20 de abril de 2018

Meditação/Nadia Malta/APENAS UM VOLTOU PARA AGRADECER!


APENAS UM VOLTOU PARA AGRADECER!

Prostrou-se aos pés de Jesus e lhe agradeceu. Este era samaritano. Jesus perguntou: "Não foram purificados todos os dez? Onde estão os outros nove? Não se achou nenhum que voltasse e desse louvor a Deus, a não ser este estrangeiro? "Então ele lhe disse: "Levante-se e vá; a sua fé o salvou". Lucas 17:16-19.              

Este texto começa na realidade no versículo 11 deste capítulo e relata a história muito conhecida de dez leprosos que foram curados pelo Senhor Jesus. A lepra era uma enfermidade associada ao pecado naqueles dias. Era uma doença segregadora fazia com que seus portadores vivessem à margem da sociedade. Eles normalmente moravam fora das cidades. A situação era tão séria que os leprosos tinham que se auto-anunciar aos gritos cada vez que saíam em público para que as pessoas abrissem passagem para eles sob o risco de serem contaminadas. Ninguém se aproximava de um leproso mesmo que ele fizesse parte da família. Era uma doença que tinha um impacto social muito grande. O leproso alem de carregar o peso da enfermidade mutiladora, ainda tinha que conviver com a solidão pela distancia de amigos e parentes.

Jesus à caminho de Jerusalém, na divisa de Samaria e Galiléia, o texto diz: “Ao entrar num povoado, dez leprosos dirigiram-se a ele. Ficaram a certa distância e gritaram em alta voz: "Jesus, Mestre, tem piedade de nós”! (Vs.12,13). Jesus ouve o clamor daqueles homens e os manda irem mostrar-se ao sacerdote. Era a autoridade religiosa oficial que testificava aquele tipo de cura para reintegrar a pessoa à sociedade. À medida que eles estavam indo perceberam a cura. Seus corpos haviam sido purificados! A doença desaparecera! Contudo, apenas um voltou para a agradecer e este era samaritano. Diz o relato: “Um deles, quando viu que estava curado, voltou, louvando a Deus em alta voz. Prostrou-se aos pés de Jesus e lhe agradeceu. Este era samaritano” (VS. 16,17).

Temos falado tantas vezes neste espaço sobre a gratidão, que é a rainha das virtudes. O coração grato reconhece não só a dádiva, mas o Doador dela. Aquele homem louvou ao Senhor e prostrou-se aos pés de Jesus em gratidão! E quanto aos outros? Nove ingratos! Queriam apenas a dádiva, não o Doador dela! Eles queriam a bênção, não o Senhor da bênção! Dez foram os curados. Nove eram judeus, mas apenas o estrangeiro, o samaritano, manifestou a sua gratidão. Exatamente aquele que fazia parte do povo mais rejeitado naqueles dias. Os samaritanos eram odiados pelos judeus por prestarem um culto misto ao Senhor.

O samaritano era duplamente rejeitado, não só por ser samaritano, mas pela própria enfermidade! Percebemos aqui uma visível representação da rejeição ao Cristo pela maioria dos judeus e também a aceitação pelos não judeus, ou aqueles que são rejeitados pelo mundo. A dor da rejeição é reputada como uma das piores dores emocionais que o ser humano pode sentir. Jesus diz: “Vinde a mim todos vós que estás cansados e sobrecarregados e eu vos aliviarei”! Ir a ele é alcançar a graça da salvação e do acolhimento perene! Nele e apenas nele encontramos abrigo seguro e morada permanente! Aprendemos acerca da gratidão que ela é: Inclusiva – todos podem praticá-la; é Atenta – ela é sensível a todos os agires de Deus; ela é Contagiosa – capaz de tocar todos os que dela se aproximam; e Teocêntrica – ela nos mostra que Deus está no centro de nossas ações de graças. Ele é o Doador Supremo de toda boa dádiva e de todo dom perfeito! Rendamos graças em tudo, mesmo que não compreendamos os métodos, a vontade do Senhor para nós é sempre boa, agradável e perfeita! Rendamos graças! Nadia Malta  http://ocolodopai.blogspot.com.br/

Você poderá gostar também de...

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...