segunda-feira, 6 de agosto de 2012

Sermão/Pra. Nadia Malta/SEJAMOS PRATICANTES DA PALAVRA, NÃO OUVINTES NEGLIGENTES!

SEJAMOS PRATICANTES DA PALAVRA, NÃO OUVINTES NEGLIGENTES!
“Sabeis estas coisas, meus amados irmãos. Todo homem, pois, seja pronto para ouvir, tardio para falar, tardio para se irar. Porque a ira do homem não produz a justiça de Deus. Portanto, despojando-vos de toda impureza e acúmulo de maldade, acolhei, com mansidão, a palavra em vós implantada, a qual é poderosa para salvar a vossa alma. Tornai-vos, pois, praticantes da palavra e não somente ouvintes, enganando-vos a vós mesmos. Porque, se alguém é ouvinte da palavra e não praticante, assemelha-se ao homem que contempla, num espelho, o seu rosto natural; pois a si mesmo se contempla, e se retira, e para logo se esquece de como era a sua aparência. Mas aquele que considera, atentamente, na lei perfeita, lei da liberdade, e nela persevera, não sendo ouvinte negligente, mas operoso praticante, esse será bem-aventurado no que realizar. Se alguém supõe ser religioso, deixando de refrear a língua, antes, enganando o próprio coração, a sua religião é vã.  A religião pura e sem mácula, para com o nosso Deus e Pai, é esta: visitar os órfãos e as viúvas nas suas tribulações e a si mesmo guardar-se incontaminado do mundo”.
Tiago 1:19-27


Objetivo: Levar os ouvintes a reavaliar sua responsabilidade e  compromisso com a Palavra de Deus.

Ideia Central do Texto (ICT):
No texto lido Tiago, o meio irmão de Jesus, chama a atenção dos seus leitores para a seriedade da prática da Palavra de Deus por aqueles que a professam. Muitos em nosso meio têm vivido no engano. Falam como crentes, gesticulam como crentes, usam cacoetes e jargões de crentes, até carregam uma Bíblia debaixo do braço, mas estão longe de serem chamados de filhos de Deus. Tudo por causa do testemunho dado fora dos guetos cristãos.

Introdução:
A experiência real da salvação produz uma profundíssima alteração na essência do ser humano. O ato de Nascer de Novo é algo que vai além do entendimento humano, pois mexe com as estruturas não apenas emocionais, mas espirituais do homem. O nosso espírito é recriado pelo Espírito de Deus, é o que os teólogos chamam de regeneração. É a única chance que temos de recomeçar do zero. Através dessa experiência nos tornamos Novas Criaturas, as coisas velhas passam e tudo se faz novo. Por que então temos visto tanta coisa fora do prumo de Deus no meio do povo chamado pelo seu nome?

Há um texto da Palavra de Deus que estremeço cada vez que o leio: Jesus diz em Mt. 7. 22, 23: Muitos naquele dia, hão de dizer-me: Senhor, Senhor! Porventura, não temos nós profetizado em teu nome, e em teu nome não expelimos demônios, e em teu nome não fizemos muitos milagres? Então, lhes direi explicitamente: Apartai-vos de mim, os que praticais a iniqüidade”. O que dizer de um texto como este? Aqui Jesus fala dos falsos crentes, do joio no meio do trigo. Que hoje possamos repensar nossa própria postura espiritual e nossa responsabilidade para com a Palavra de Deus e sua prática. Para que obtenhamos vitórias em nossas lutas diárias de nada adianta as correntes de oração, os jejuns intermináveis, os sacrifícios de tolos. O que o Senhor requer de nós é unicamente obediência à sua Santa Palavra, ouvir sem praticar é negligencia. E muitos a têm negligenciado deliberadamente para sua própria ruína.

NO TEXTO LIDO TIAGO AFIRMA QUE TEMOS TRÊS RESPONSABILIDADES EM RELAÇÃO À PALAVRA DE DEUS:
  1. Receber a Palavra de Deus – VS. 19-21:
  • Tiago aqui traz algumas instruções aos que recebem a Palavra VIVA de Deus: Eles precisam estar prontos para ouvir aquilo que o Senhor diz em sua Santa Palavra. Por isso que Jesus diz várias vezes em Apocalipse: Aquele que tem ouvidos ouça aquilo que o Espírito diz à igreja”. Esse ouvir não é um mero escutar, mas um compreender e assimilar aquilo que nos é dito pelo Senhor. É acolher com mansidão a palavra implantada no coração.  É receber iluminação nos olhos do entendimento, no dizer do apóstolo Paulo. Precisam ser tardios para falar. Esta recomendação tem dois sentidos: discutir contestadoramente a Palavra e o sentido de anunciá-la antes de vivê-la. O ser pronto para ouvir e tardio para falar também podemos aplicar ao nosso viver diário. Saber ouvir é sempre sinal de sabedoria. Precisam ainda ser tardios para se irar. Essa ira também tem dois sentidos: a ira contra Deus e sua Palavra, pelo fato da Palavra revelar, desmascarar os nossos pecados, bem como, a ira ao pregar a palavra e ela não ser aceita de pronto. Podemos fazer ainda uma terceira aplicação quanto a “ser tardio em se irarque é em relação às ofensas recebidas. Quando oramos pelos nossos ofensores e perseguidores, se eles não mudarem de atitude em relação a nós, o Senhor manifestará a sua justiça como nosso reto juiz. Seja qual for o sentido aplicado ao “ser tardio em irar-se”, Tiago diz que a ira do homem não produz a justiça de Deus” (justiça aqui no sentido de justificação). A ira do homem em relação à não conversão dos incrédulos não é lícita, porque essa obra é de Deus, não de homens. O Senhor não passou procuração para nós para nos irarmos por causa da cegueira espiritual dos outros, antes ele deseja que clamemos para que os olhos dos incrédulos sejam desvendados.
  • É necessário ter um coração preparado, como um solo que se prepara para receber a boa semente. Vamos arrancar as ervas daninhas (impurezas e acúmulo de maldade- v.21) e arar o nosso coração regando-o com lágrimas de genuíno arrependimento para que a semente da Palavra brote e frutifique, trazendo novidade de vida. Quando recebemos a Palavra com mansidão, sem ira ou revolta e acatamos o que ela diz, ela começa a gerar a vida de Deus em nosso coração. O apostolo João diz: “Os mandamentos do Senhor não são penosos”. Para quem esses mandamentos não são penosos? Para os eficazmente chamados, regenerados pelo Espírito Santo. A Palavra do Senhor não voltará vazia, atingirá o propósito para o qual foi designada: Salvar ou condenar.
  1. Praticar a Palavra de Deus – VS. 22-25:
  • Os que acreditam que são espirituais só porque ouvem a Palavra de Deus, enganam-se a si mesmos. Receber a palavra e praticá-la habilita para pregá-la. Aqui Tiago compara a Palavra com um espelho revelador. O espelho tem essa função de revelar o que está torto, fora do lugar. O exame das Escrituras deve ser cuidadoso, sob a orientação do Espírito Santo. Ao lermos a Palavra precisamos aprender a perguntar ao Espírito de Deus: Como essa verdade se aplica a mim? Uma leitura superficial das Escrituras jamais revelará nossas necessidades mais profundas. Por isso que muitos até lêem, mas não são transformados, porque pela superficialidade, logo se esquecem do que leram. Tiago chama a Palavra de Lei Perfeita, Lei da Liberdade. Além de salvadora, transformadora, a Palavra do Senhor é libertadora. “E conhecereis a Verdade e a Verdade vos libertará – Jo 8.32.  O operoso praticante da palavra é “bem-aventurado no que realizar”.
  1. Compartilhar a Palavra de Deus – VS. 26, 27:
  • Compartilhamos a Palavra de várias maneiras, Tiago aqui, nos aponta três delas: O falar sadio – v.26. Cuidado com a língua acusadora e maldizente. A palavra do crente deve ser agradável, sadia, temperada com sal e deve transmitir graça aos que ouvem. A língua revela o coração, aliás, “a boca fala do que ele está cheio”. A linguagem do crente deve ser cuidadosa. Uma língua controlada revela um corpo controlado. O serviço abnegado que inclui o exercício da compaixão, bem como o comprometer-se com a obra de Deus v. 27 a. A palavra também pode ser compartilhada através desse serviço ao próximo. Tenhamos também zelo pela obra do Senhor, pois  “maldito o que faz a obra do Senhor relaxadamente”. O santo testemunho – v. 27b. O mundo deseja corromper o crente e contaminá-lo. Manter-se incontaminado do mundo é o grande desafio do crente. Para tal não podemos perder de vista a nossa separação das práticas mundanas, estamos no mundo, mas não fazemos parte dele. O maior sermão que podemos pregar é com as nossas atitudes em relação ao Senhor, aos irmãos e a obra de Deus. Fomos chamados para ser sal, luz e perfume, nos portemos como tais.
CONCLUSÃO: O que Tiago nos ensina aqui?
  1. Se somos cristãos nascidos de novo, precisamos ter responsabilidade com a Palavra de Deus e sua prática em nosso dia a dia.
  2. Somos exortados a acatar com mansidão a Palavra de Deus em nós implantada: recebê-la, praticá-la e compartilhá-la.
  3. A Palavra de Deus além de salvadora é transformadora e libertadora. Ela faz bem-aventurado quem a praticar.
  4. Prestemos atenção ao nosso falar, ao nosso serviço como cristãos e ao nosso santo testemunho.
Aleluia, Amém!
Sermão/Pra. Nadia Malta em 05.08.12 – nadiamalta@hotmail.com; pra.nadiamalta@gmail.com; www.ocolodopai.com
Este material ode ser reproduzido e utilizado para fins de evangelismo ou edificação, desde que seja mencionada a fonte, e a Fonte é o Espírito Santo de Deus.

Nenhum comentário:

Você poderá gostar também de...

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...